Segurança

Alerta. Cuidado com a bagageira dianteira de um Tesla

A intenção é a melhor: facilitar a intervenção das equipas de socorro. O resultado devia ser melhor: uma chave de fendas é o suficiente para qualquer um aceder à bagageira dianteira. Mas será defeito?

Autor
  • António Sousa Pereira

Por definição, uma bagageira destina-se a acolher bagagens, logo, será algo que o proprietário espera que ofereça alguma resistência às ambições dos chamados “amigos do alheio”. Mas não no caso da bagageira dianteira dos modelos da Tesla produzidos a partir de 2014 – sendo aqui útil mencionar que Model S e Model X oferecem compartimentos de bagagem tanto na frente como na traseira, assim aproveitando o muito menor espaço ocupado pelo seu sistema de propulsão eléctrica, por comparação com um motor de combustão de rendimento equivalente.

E o pior é que esta fragilidade está ao alcance de um simples clique, como hoje está tão em voga dizer-se. Pode acreditar: no próprio site da marca, qualquer um pode ficar a saber como aceder a esses compartimentos (teoricamente) fechados para quem não tenha em sua posse a chave do veículo, sem que sequer seja necessário dispor de qualquer ferramenta mais sofisticada do que uma simples chave de fendas. Não acredita? Então consulte este link, da página 28 do manual de instruções do veículo.

Claro que há que reconhecer que a intenção da Tesla, ao criar esta solução, foi a melhor: permitir às equipas de socorro aceder, facilmente, ao circuito eléctrico do veículo, de forma a cortar a corrente em caso de necessidade (até 2014, havia que aceder ao porta-luvas para abrir a bagageira sem a chave, através dos cabos que libertam o respectivo fecho, o que era mais seguro, mais também mais moroso e, potencialmente, mais difícil em caso de incêndio). E, seguramente, que os condutores que se virem envolvidos num acidente, a necessitar a intervenção de uma brigada de salvamento, não deixarão de ficar gratos pelo acesso mais facilitado.

O problema é que esta funcionalidade também pode ser utilizada de forma mais perniciosa pelos menos escrupulosos. Com a tal chave de fendas, no extremo do pára-choques do Model S, ou atrás das cavas das rodas dianteiras do Model X, basta remover (sem causar qualquer estrago!) uma pequena tampa plástica e, de imediato, aceder ao manípulo que permite abrir por fora a dita bagageira (no interior da qual se encontram os cabos que devem ser cortados em caso de acidente e risco de incêndio). Não deixe de ver o vídeo abaixo (completo aqui):

A partir daqui, é só retirar o que se queira do interior da famigerada bagageira e, como diz o povo, “dar às de Vila Diogo”. É claro que, se o veículo estiver trancado, o alarme irá disparar – mas só depois de a bagageira estar já aberta. Sendo certo e sabido que tal também não constituirá impedimento de maior para os mais ousados, pois até que o proprietário se aperceba do sucedido, já os larápios se encontrarão bem longe com os seus pertences.

Por isso, se já é ou está a pensar tornar-se proprietário de um Tesla da nova geração, não facilite: objectos de valor, dentro a viatura, só os deverá guardar no interior da bagageira traseira, que não dispõe de qualquer sistema de abertura de emergência. Até porque, tratando-se este de um sistema mecânico, se a marca de Palo Alto quiser resolver o problema, e aumentar a segurança dos seus modelos, vai precisar de mais do que uma simples actualização de software realizada de modo remoto. E, já agora, veja aqui como os bombeiros intervêm num Tesla Model X, quando necessitam de desencarcerar os ocupantes do seu interior, entre o minuto 14 e 18.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)