A Coreia do Norte lançou esta segunda-feira quatro mísseis balísticos para o mar do Japão e da Coreia do Sul, a partir do seu sistema de mísseis balísticos de longo alcance, de acordo com as autoridades sul-coreanas, que querem agora antecipar a implementação de um avançado sistema de defesa anti-míssil norte-americano que a China viu como provocação.

A tensão voltou à península da Coreia como o que parece ser mais uma provocação daquela que Barack Obama considerou a maior ameaça que deixava nas mãos de Donald Trump no curto prazo. O regime de Kim Jong-un terá disparado quatro mísseis, dos quais três caíram nos mar ao largo do Japão e um outro no mar ao largo da Coreia do Sul.

O chefe do estado-maior das forças armadas da Coreia do Sul disse esta segunda-feira num comunicado que os lançamentos foram feitos na zona de Tongchang-ri, na província de Pyongan Norte. É nesta zona que está sediada a estação de lançamento de satélites Seohae, onde a Coreia do Norte, nos últimos anos, o lançamento de mísseis de longo alcance.

As autoridades ainda não conseguiram determinar que tipo de mísseis foram lançados, mas não consideram provável que se tratem de mísseis intercontinentais, como a Coreia do Norte tem ameaçado lançar.

A resposta das autoridades sul-coreanas é a antecipação da implementação do avançado sistema anti-míssil norte-americano conhecido como Thaad, um sistema que devia estar completamente instalado dentro de um ano e que sul-coreanos e norte-americanos dizem que tem como objetivo proteger os interesses destes dois países de eventuais ataques norte-coreanos.

No entanto, a China é ostensivamente contra a instalação deste sistema. Pequim, que é sensível a estas movimentações e é um dos poucos – se não o único – aliados da Coreia do Norte na região, entende que isso diminui o poder de dissuasão do seu arsenal nuclear e já ameaçou com sanções económicas contra a Coreia do Sul.

Washington e Tóquio já condenaram o ataque, com os Estados Unidos a ameaçarem “utilizar todos os meios” ao seu alcance “contra a ameaça crescente” norte-coreana. “Os Estados Unidos condenam veementemente os lançamentos de mísseis balísticos pela Coreia do Norte, os quais violam as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, em comunicado.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que três dos quatro mísseis que a Coreia do Norte lançou esta segunda-feira caíram em águas controladas pelo Japão, tendo também condenado a ação de Pyongyang.