Os números foram divulgados pela Guarda Nacional Republicana e dizem respeito à fiscalização da lei que criminaliza os maus-tratos a animais, em vigor desde outubro de 2014.

Ao todo, no país, foram registadas 10 denúncias por dia (3.694, menos 116 do que no ano anterior) e levantados 13 autos de contra-ordenação, maioritariamente por falta de chip de identificação, vacinação ou falta de registo (5.064, 380 mais do que em 2015).

No que toca efetivamente aos crimes, que podem ser de maus-tratos ou de abandono, foram registados, em média, dois em cada um dos dias de 2016. Dá 767 no total, mais 112 do que no ano passado.

O distrito de Setúbal, com 157 crimes (93 de maus-tratos e 64 de abandono) é de longe o pior (em Lisboa, por exemplo, foram confirmadas 56 queixas); já Bragança, com 11 ocorrências (uma relativa a abandono, as restantes a maus-tratos), está no lado oposto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Lisboa e Setúbal foram os distritos com maior número de denúncias ao longo do ano: 591 e 556 respetivamente.

Os meses com maior número de ocorrências foram os dois últimos do ano, sendo os crimes de maus-tratos muito mais frequentes do que os de abandono – 524 para 243.

Denúncias e queixas podem ser feitas, recorda a GNR, 24 horas por dia em todo o país através da linha “SOS Ambiente e Território”, disponível através do número azul (808 200 520) ou via formulário escrito no site da GNR.