O Supremo Tribunal devolveu o caso de um aluno transgénero do Estado do Virginia ao tribunal de recursos para que este o volte a avaliar. A decisão surge depois de a administração norte-americana de Donald Trump ter retirado as orientações para as escolas sobre o uso de casas de banho por alunos transgénero decidida por Obama.

O caso devia ser avaliado ainda este mês pelos juízes do mais alto tribunal dos Estados Unidos, cujas decisões criam jurisprudência, mas depois da mudança de administração norte-americana, os juízes mudaram também de opinião e decidiram não decidir, pelo menos para já, sobre o caso.

O tribunal de recursos tem baseado as suas decisões nas instruções da Casa Branca durante o tempo de Barack Obama que determinou que os alunos transgénero podiam escolher o WC consoante o género com que se identificavam. No entanto, a administração Trump ainda não emitiu novas orientações desde que revogou as anteriores.