A diretora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) disse esta terça-feira que os dois passageiros clandestinos que fugiram de um navio atracado no Barreiro são “casos pontuais” e que não representam automaticamente um risco para a segurança nacional. Trata-se “aparentemente, de imigração irregular”, disse a diretora do SEF, Luísa Gonçalves, à margem da Conferência Anual da Frontex de chefes de Aeroportos, que arrancou esta terça-feira em Cascais.

Em causa está o caso dos dois homens que, na semana passada, fugiram a nado de um navio tanque carregado com gás e aportado no terminal da Quimipor, no Barreiro, vindo da Argélia, e que estão ainda desaparecidos.

A responsável sublinhou que a imigração irregular não põe, por si só, em causa a segurança nacional. “Pode por ou não, depende do que estiver envolvido nestas situações. Casos de imigração ilegal haverá sempre e não são casos únicos em Portugal e noutros países. Isso são situações pontuais que hão de acontecer cá e em todos os estados europeus”, afirmou.

Para Luísa Gonçalves, a fuga de passageiros clandestinos representa “casos pontuais” e que “não são significativos para Portugal”. “Quando há casos de imigração irregular a bordo de navios, o transporte é feito dentro do barco, nos termos do código de fronteiras de Schengen, ficam à guarda do comandante e fazem o circuito de regresso ao porto de origem”, explicou. Ainda segundo a responsável, o caso dos dois argelinos em fuga não se traduzem em casos de “má-fé”, sendo esses “muito mais graves”.

A generalidade “das pessoas que cruzam as fronteiras em todo o mundo são pessoas de boa-fé. É claro que há uma percentagem que não é de boa-fé e é para essa percentagem que os Estados tomam medidas de segurança, para que todos os outros possam circular em segurança no seu território”, frisou. Para isso, concluiu, as tecnologias funcionam como um complemento para garantir uma “segurança mais eficaz”.

Com a presença de cerca de 150 participantes da União Europeia, países não comunitários e representantes de organismos da União Europeia e Organizações Internacionais, a Conferência Anual da Frontex de Chefes de Aeroportos decorre até quinta-feira.

A Frontex organiza anualmente a conferência para os chefes operacionais responsáveis pelo controlo das fronteiras em todos os aeroportos internacionais da União Europeia.