Foram reveladas esta terça-feira as causas da morte de George Michael. Os exames finais ao corpo revelam que o cantor morreu de causas naturais relacionadas com problemas cardíacos e de fígado, anunciou o médico legista responsável pela autópsia, Darren Salter.

Inicialmente o relatório da autópsia ao corpo do cantor de 53 anos tinha revelado dados inconclusivos, pelo que as causas da sua morte não foram de imediato anunciadas, considerando a morte “inexplicada mas não-suspeita”. Agora, 10 semanas depois de ter morrido, foram, finalmente, desvendados. George Michael morreu na sequência de uma cardiomiopatia dilatada com miocardite e fígado gordo.

A cardiomiopatia dilatada é uma condição que afeta normalmente o ventrículo esquerdo do coração, que fica dilatado e enfraquecido, limitando a capacidade do coração de bombear o sangue. A miocardite é a inflamação do músculo cardíaco. Salter afirmou que por George Michael ter morrido de causas naturais não haverá lugar a investigação ou inquérito futuros.

George Michael foi encontrado morto na manhã do dia de Natal, em casa, pelo seu companheiro. A família pode agora proceder à organização do funeral do cantor.

“Em paz na cama.” Foi assim que o namorado descobriu o corpo de George Michael