Não obstante estar no mercado há praticamente uma década, o XC60 original retira-se de cena na liderança do segmento europeu dos SUV de prestígio de médio porte. Um feito que o seu sucessor, acabado de revelar no Salão de Genebra, decerto não deixará de querer perseguir, para que o aposta numa combinação entre um estilo marcante, muita tecnologia de ponta, uma dinâmica apurada e os proverbiais atributos em termos de segurança.

Visualmente, é notório o parentesco com o XC90, o SUV de topo da marca nórdica, esperando-se que o mesmo seja aplicável à qualidade de construção e materiais. Evoluções a destacar, o novo sistema de qualidade do ar CleanZone, de quatro zonas (capaz de identificar a presença de poluentes no ar que entra no habitáculo, quando tal ocorrer fecha as aberturas, para que o ar se mantenha fresco); o sistema Sensus e a aplicação Volvo On Call com grafismo melhorado; e a disponibilização dos sistemas Apple CarPlay e Android Auto para integração de smartphones.

Como o Observador já referiu, um dos principais atributos do novo XC60 reside na estreia de três novos avançados sistemas de segurança activa, que actuam sobre a direcção. No caso do sistema de travagem autónoma de emergência City Safety, sempre que a acção dos travões não for suficiente para evitar um embate, o veículo actua sobre a direcção, na tentativa de evitar o obstáculo, quando a circular entre os 50 km/h e os 100 km/h. O novo sistema Oncoming Lane Mitigation visa contribuir para evitar colisões com veículos que circulem noutras faixas de rodagem, ao passo que o sistema de monitorização do ângulo morto BLIS passa a incluir a assistência à direcção que evitar potenciais colisões.

A isto há que juntar o opcional sistema de condução autónoma Pilot Assist, capaz de controlar a direcção, o acelerador e os travões, em estradas bem delimitadas, a velocidades até 130 km/h.

15 fotos

Em termos de motores, vai haver opções para (quase) todos os gostos. São propostas duas opções diesel (D4 de 190 cv e D5 de 235 cv), duas opções a gasolina (T5 de 254 cv e T6 de 320 cv) e o híbrido plug-in T8, com 404 cv e capaz de cumprir os 0-100 km/h em 5,3 segundos. Mas, no arranque da comercialização, apenas serão disponibilizadas versões equipadas com o D4 e sistema All-Wheel Drive (AWD, quatro rodas motrizes), com preços que, segundo a marca, não deverão sofrer aumentos face à geração anterior. Pelo que será de esperar que, na fase de lançamento, os valores arranquem nos 45.000€. Posteriormente, o novo XC60 surgirá com motor D3 (2.0 de 150 cv) e apenas tracção às rodas da frente. Neste caso, devendo exigir em troca 38.000€.

O arranque da produção do novo XC60 está agendado para meados de Abril, mês a partir do qual a Volvo começa também a receber encomendas. As primeiras entregas a clientes estão previstas para finais de Junho.

[jwplatform O4g6ApXB]