O presidente boliviano Evo Morales vai voltar a Cuba, depois de vários dias internado, para realizar uma intervenção a um nódulo na garganta. Depois das incertezas e especulações sobre o seu progresso e sobre o motivo pelo qual tinha sido levado para um hospital cubano, foi nesta terça-feira que o presidente da Bolívia afirmou que tinha um nó benigno na garganta e que o mesmo iria ser removido dentro de um mês, em Havana, conta o El País.

Evo Morales afirmou que esta lesão foi provocada devido ao uso excessivo das suas cordas vocais. Segundo informou o Governo, este nódulo não foi detetado pelos médicos bolivianos do presidente, daí a necessidade de Morales ter sido internado no estrangeiro. Várias críticas têm sido feitas ao presidente, nomeadamente pela oposição, que afirma que, em 11 anos de Governo, Morales não construiu um serviço de saúde confiável, o que faz com que os próprios bolivianos tenham que ir para o estrangeiro para obterem tratamento médico. Segundo conta o jornal espanhol El País, Evo Morales recusa-se a parar de trabalhar e afirma que “descansar é uma traição à pátria”.