O discurso do presidente brasileiro, Michel Temer, no Dia da Mulher foi marcado por declarações controversas sobre o papel da mulher em diferentes áreas da vida em sociedade. A participação do elemento feminino foi, entre várias tarefas, destacada pela sua competência nas compras de supermercado, tal como assinala o jornal O Globo.

“Na economia, também a mulher tem [uma] grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes de preço no supermercado do que a mulher. Ninguém é capaz de melhor detetar as flutuações económicas do que a mulher, pelo orçamento doméstico”, disse esta quarta-feira o presidente. Mas as “gafes”, como a imprensa brasileira lhes chama, não se ficaram por aqui.

Falando em crescimento económico, Temer afirmou que as mulheres vão conseguir empregos finda a recessão, algo que terão de conciliar com os “afazeres domésticos”:

Hoje, graças a Deus, as mulheres tem a possibilidade de empregabilidade que não tinha no ano passado. Com a queda da inflação, dos juros, significa que também, além de cuidar dos afazeres domésticos, haverá um caminho cada vez mais longo para o emprego.”

Como isso não bastasse, o presidente brasileiro, que sucedeu a Dilma Rousseff, atribuiu ainda o papel da educação apenas e exclusivamente à mulher, ao declarar que “se a sociedade vai bem, se os filhos crescem, é porque tiveram adequada formação em suas casas e, seguramente, quem faz isso não é o homem, é a mulher.”

Apesar dos comentários um tanto ou quanto polémicos, Temer afirmou ainda que a mulher é tratada como uma figura de segundo grau, quando deveria ocupar o primeiro lugar na sociedade, qualquer que ela seja.

O discurso completo pode ser lido aqui.