Guatemala

Presidente da Guatemala destitui diretor de orfanato e decreta três dias de luto

O Presidente da Guatemala anunciou a destituição do diretor do centro de menores, onde um incêndio causou a morte de 21 meninas, e decretou três dias de luto nacional.

Pelo menos 21 meninas morreram e 39 outras encontram-se hospitalizadas, com queimaduras de segundo, terceiro e quarto grau, na sequência de um incêndio registado na quarta-feira num centro de menores

RICARDO MALDONADO ROZO/EPA

O Presidente da Guatemala, Jimmy Morales, anunciou na quarta-feira a destituição do diretor do centro de menores, onde um incêndio causou a morte de 21 meninas, e decretou três dias de luto nacional. Numa mensagem à nação, Jimmy Morales afirmou que o executivo “lamenta profundamente” a tragédia e anunciou que estão a ser investigadas as causas do incidente para se poderem apurar responsabilidades, apesar de lamentar que “os órgãos jurisdicionais” não tenham respondido a tempo de transferir alguns dos menores.

Pelo menos 21 meninas morreram e 39 outras encontram-se hospitalizadas, com queimaduras de segundo, terceiro e quarto grau, na sequência de um incêndio registado na quarta-feira num centro de menores, quando as jovens tentaram protestar contra os abusos sexuais e físicos, que sofrem, segundo fontes familiares. “Antes do sinistro pediu-se aos órgãos jurisdicionais que transferissem, de imediato, as menores em conflito com a lei para outros centros de privação de liberdade para evitar consequências maiores. O Governo da Guatemala lamenta (…) que não tenham atendido a este pedido em momento oportuno”, afirmou o chefe de Estado.

No centro, encontram-se internados 748 menores, apesar de a sua capacidade ser de 400, incluindo órfãos e vítimas de violência e alguns acusados de pertencer a grupos criminosos ou de terem cometido delitos, segundo os familiares.

O Presidente, naquela que foi a sua primeira reação à tragédia, afirmou que foi ordenada a “destituição imediata” do diretor, o segundo desde que o anterior saiu no ano passado, e que será também realizada uma investigação interna e administrativa. Na mensagem, com menos de dois minutos, o Presidente da Guatemala manifestou ainda o seu pesar e a sua “solidariedade” para com as famílias e os feridos, decretando, em face “da dimensão desta tragédia nacional”, três dias de luto.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)