O novo ministro da Justiça do Brasil, Osmar Serraglio, criticou esta sexta-feira as comunidades indígenas do país que lutam pelo aumento da demarcação de suas terras, acusando-os de preferirem promover disputas em vez lutarem por melhores condições de vida.

A declaração foi divulgada numa entrevista publicada, esta sexta-feira, pelo jornal brasileiro Folha de S.Paulo na qual o ministro diz que ter terra não encherá o estômago dos índios.

O que acho é que vamos lá ver onde estão os indígenas, vamos dar boas condições de vida para eles, vamos parar com essa discussão sobre terras. Terra enche a barriga de alguém?”, questionou o ministro ao jornal brasileiro.

O político que liderava a bancada ruralista no Congresso do Brasil (um grupo parlamentar que defende os interesses dos proprietários de terra), Osmar Serraglio assumiu o Ministério da Justiça nesta semana, substituindo Alexandre de Moraes, nomeado juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil.

Entre os projetos de lei com os quais esteve envolvido nos últimos meses está uma proposta parlamentar de emenda à Constituição brasileira que altera o sistema de demarcação de terras indígenas.

Os grupos indígenas criticaram os comentários do novo ministro da Justiça, acusando-o de apoiar os interesses dos empresários do agronegócio.

Ativistas também têm denunciado aquilo que consideram ser uma grande influência do agronegócio no Governo do Presidente Michel Temer.

Em novembro do ano passado, o Presidente brasileiro desmantelou demarcações concluídas de 13 territórios onde vivem os povos indígenas e ordenou que os processos fossem reiniciados.