Folhos, cores fortes, tecidos acetinados e um casaco de pelo com ombros exageradamente elevados são algumas das características de ‘Freak Ball’, a coleção que David Ferreira apresentou em Londres no mês passado e que desfilou esta sexta-feira na ModaLisboa com algumas alterações.

“O desfile na ModaLisboa é mais bem pensado. Acabei por fazer um ‘look’ [conjunto de peças] novo e por acrescentar algumas peças, porque uma pessoa nunca está satisfeita com o que faz”, contou à Lusa no final do desfile, acrescentando que houve também uma alteração na maneira como as peças são apresentadas.

“Freak Ball” é, segundo o próprio, “uma coleção sem barreiras”, tal como o tema da 48.ª edição da ModaLisboa “Boundless”, uma “celebração da diferença, do que torna cada um único”.

David Ferreira tem noção que há na coleção “peças que parecem bastante ousadas”, mas garante que “são usáveis”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A título de exemplo refere o casaco de pelo com ombros exageradamente elevados. “Os ombros muito altos foram criados com chumaços que fiz no meu ateliê e que quando são retirados deixam o casaco completamente usável”, referiu.

A coleção de David Ferreira reuniu silhuetas ousadas. © André Marques/Observador

David Ferreira, um aveirense de 27 anos, apresentou ‘Freakball’ em Londres, no calendário da Fashion Scout, uma plataforma dedicada a jovens talentos. O designer de moda terminou, em agosto do ano passado, o curso superior de moda em Inglaterra e desde então já ganhou dois prémios internacionais, mostrou coleções em Nova Iorque e Londres antes de regressar a Portugal, há um ano.

A cantora islandesa Björk é fã do português. Já pediu algumas peças para um videoclipe e usou nos Brit Awards uma das suas máscaras.

Depois de David Ferreira foi a vez de Ricardo Preto apresentar a sua coleção para o próximo inverno na Garagem Sul do CCB, encerrando assim o primeiro dia de desfiles da 48.ª edição da ModaLisboa.

Esta coleção de Ricardo Preto tem como ponto de partida “os verdadeiros modernistas, os fundadores da Bauhaus e todas as expressões artísticas das décadas que os mesmos influenciaram”.

Nas peças hoje apresentadas dominam os tons escuros, as silhuetas geométricas e uma mistura entre materiais clássicos e modernos.

Uma das propostas de Ricardo Preto. © Rui Vasco

O dia começou com a apresentação das propostas dos participantes do projeto Sangue Novo, destinado a jovens finalistas de cursos de Design de Moda ou que estejam a iniciar a sua marca.

A 48.ª edição da ModaLisboa decorre até domingo.

No sábado são apresentadas as coleções de Awaytomars, de Ricardo Andrez, da marca de calçado e acessórios Eureka, de Kolovrat, de Filipe Faísca, da Mustra e de Luís Carvalho.