Marca automóvel famosa pelos seus superdesportivos luxuosos e exclusivos, a Bugatti decidiu aventurar-se num ambiente totalmente distinto do habitual, como é o dos sete mares. Neste caso, através de uma parceria celebrada com o não menos conceituado fabricante de iates Palmer Johnson, da qual resultou uma impressionante lancha rápida.

Baptizada com o nome de Niniette 66, esta embarcação inspira-se nas icónicas propostas do construtor automóvel francês não somente no design e no luxo, mas também nas prestações – a começar por uma velocidade de ponta de 44 nós, marca considerável sobre a água (equivalente a 81,5 km/h). Ainda assim, este valor fica um pouco abaixo do que aquilo que consegue o novo Chiron, que só não passa dos 420 km/h porque a isso está limitado.

Os 20 metros de comprimento do Niniette 66 ofuscam o Chiron mas, curiosamente, estes dois produtos estão bastante próximos no que respeita às linhas gerais e à potência

Com cerca de 66 pés (pouco mais de 20 metros) de comprimento, ou seja, maior do que os 4,54 metros do Chiron, esta nova aventura da Bugatti começou a ser trabalhada há já alguns anos, mais concretamente em 2015, após um encontro entre os dois fabricantes. Deste resultou a intenção de produzir algo totalmente novo, que se assumisse como a derradeira experiência sobre a água.

No entanto, e ao contrário do que se poderia esperar, o resultado final não inclui o fantástico W16 8,0 litros quadriturbo com 1.500 cv de potência que equipa o último dos Bugatti, ou até mesmo outro qualquer componente mecânico que faça parte do automóvel. Pelo contrário, o Niniette 66 opta por um típico motor marítimo MAN V8 com uma potência que varia entre os 1.000 e os 1.200 cv, com a propulsão a ser assegurada através de jactos de água MJP. Sendo que, com um calado de apenas 4 metros, esta lancha pode deslocar-se sem problemas, mesmo em águas mais rasas.

Já no interior da embarcação, um volante genuinamente Bugatti, na linha do design exterior, é a principal referência ao construtor automóvel francês, isto num barco em tudo o resto é Palmer Johnson. O que, assinale-se, não será propriamente mau, já que este fabricante é também conhecido pelo luxo e excelência que exibe nas suas embarcações.

O desafio era criar uma experiência de luxo, estilo sofisticado e qualidade sem precedentes. Pensado para os proprietários do futuro, o Niniette 66 certamente contribuirá para elevar as suas expectativas em termos de vida a bordo”, afirma a Palmer Johnson, em comunicado.

Este Bugatti dos mares conta, entre outros atributos e em pleno deck, com um jacuzzi, um espaço para banhos de sol, um bar de champanhe e duas “áreas sociais” nas laterais do convés. Já para não falar na existência de uma espécie de lareira (!), no espaço entre o jacuzzi e os bancos dianteiros – algo que dificilmente conseguiríamos ver num Chiron.

As semelhanças entre o Bugatti de estrada e de mar são evidentes nestes esboços preliminares

Longe dos olhares indiscretos, ou seja, abaixo do deck, um espaçoso salão, com um quarto principal contíguo, tudo construído em materiais de excepcional qualidade e preço, como a pele, alumínio, fibra de carbono, madeira polida, mármore, além de muitos elementos que fazem parte da marca Bugatti.

Ainda relativamente à embarcação, o casco está concebido como se fosse um trimarã, com um corpo central e dois flutuadores laterais, que ajudam à estabilidade e amortecimento, mesmo quando a altas velocidades. Especificamente para aqueles que preferem lanchas com outras bitolas, a Palmer Johnson tem já previsto replicar a fórmula com outros comprimentos de casco, de 50 e 80 pés, ou seja entre 15 a 24 metros.

Quanto ao preço, apenas uma certeza: será, inquestionavelmente, um número com muitos zeros. Até porque se tratará de uma edição limitada a 66 unidades, pelo que o Niniette 66 não deverá andar longe dos 2,4 milhões de euros exigidos pelo Chiron.