Um estudo revela que os homens baixos e pálidos têm maior probabilidade de ter calvície e outros problemas de saúde mais cedo, conta o The Times.

O estudo, publicado na revista Nature Communications, mostra que a calvície é um problema bastante comum, com quatro em cada cinco homens a perder cabelo em algum momento das suas vidas e metade deles antes dos 35 anos.

Os responsáveis pelo estudo genético — investigadores da Universidade de Bonn, Alemanha — analisaram o ADN de 10.846 carecas e de 11.672 homens com cabelo e identificaram 63 alterações no genoma humano que aumentam o risco de perda de cabelo: os homens mais baixos, pálidos e de maior densidade óssea têm maior probabilidade de ficarem carecas mais cedo.

Além disso, a calvície é o sinal mais visível de diversas de doenças entre as quais o cancro da próstata, Parkinson e elevada pressão arterial. No entanto o principal autor do estudo, Markus Nothen, tranquiliza:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os riscos de doença aumentam apenas ligeiramente. No entanto, é emocionante ver que a perda de cabelo não é de forma alguma uma característica isolada, mas em vez disso, apresenta várias relações com outras características.

Os carecas são ainda mais sensíveis aos efeitos da testosterona e de outras hormonas sexuais masculinas, o que explica a entrada precoce na puberdade.