Ivanka Trump vai abandonar a sua linha de jóias de luxo e focar-se numa gama com preços mais acessíveis, avança o New York Times. O anúncio foi feito por Abigail Klem, responsável pela marca da filha mais velha do Presidente dos EUA, na sexta-feira passada.

Como parte do compromisso de oferecer produtos com preços mais acessíveis, decidimos descontinuar a coleção Ivanka Trump Fine Jewelry”, revelou Klem em comunicado.

No entanto, a responsável não abordou o facto de várias empresas de retalho, como a Neiman Marcus e a Nordstrom, terem deixado de comercializar as marcas de vestuário e acessórios de Ivanka, que cada vez mais se encontram associadas às questões políticas e ao governo de Trump.

No mês passado, Kellyanne Conway, conselheira de Donald Trump, chegou a gerar polémica por incentivar e apelar às vendas das coleções de Ivanka, como forma de responder à crise das vendas. “Vão comprar os produtos da Ivanka. Detesto fazer compras, (mas) hoje vou fazê-las. É uma linha magnífica, eu própria tenho alguns produtos. Vou fazer publicidade gratuita: vão todos comprá-los. Vocês podem encontrá-los online”, afirmou Conway durante uma entrevista à cadeia televisiva Fox.

Conselheira de Trump apela à compra de produtos da filha do presidente

A linha de jóias foi lançada pela primeira vez em 2007, em Nova Iorque, e é composta por brincos, pulseiras e colares que podem a rondar os 19 mil dólares (aproximadamente 18 mil euros). Já a coleção de vestuário – que inclui sapatos, malas, acessórios e roupa – dispõe de preços mais acessíveis. Por exemplo, um vestido pode custar 138 dólares (cerca de 129 euros) e uns brincos apenas 38 dólares (35 euros), segundo a CNN.

Imagem de um dos artigos mais caros da Ivanka Trump Fine Jewelry