A Organização da Mulher Moçambicana (OMM), filiada à Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, exortou esta quinta-feira a sociedade moçambicana a unir-se contra os casamentos prematuros e contra a violência doméstica.

“Temos que lutar contra os casamentos prematuros, temos que combater a violência contra a mulher, contra a criança e contra os homens”, afirmou a secretária-geral da OMM, Mariazinha Niquice, durante o discurso alusivo à criação da OMM.

A violência contra os idosos, prosseguiu Mariazinha Niquice, é outros dos males que apoquentam a sociedade moçambicana, pondo em causa os direitos fundamentais daquele segmento populacional. “É frequente, nas nossas comunidades, os idosos serem considerados feiticeiros, esta prática é uma violência psicológica contra os idosos”, acrescentou Niquice.

Na ocasião, a secretária-geral da OMM exortou a organização a manter-se coesa durante o próximo ciclo eleitoral, para garantir a vitória da Frelimo nos escrutínios. Moçambique terá em 2018 as quintas eleições autárquicas e em 2019 as sextas eleições gerais (presidenciais e legislativas) e as terceiras provinciais.

A alusão da secretária-geral da OMM aos casamentos prematuros e à violência doméstica traduz a preocupação da sociedade moçambicana em relação a dois fenómenos que não mostram sinais de abrandamento, apesar de intensas campanhas de sensibilização para o seu estancamento.