Visualmente inspirado na Espace, e oferecendo de série, em todas as versões, os faróis dianteiros por LED, a pintura a dois tons e as jantes de 20”, já está disponível no mercado português a mais recente geração do Renault Grand Scénic. Um monovolume com 4.635 mm de comprimento, que faz do amplo espaço habitável e da modularidade um dos seus principais trunfos, traduzido, desde logo, numa lotação para sete passageiros, bem como numa bagageira com 596 litros de capacidade.

Ainda no interior, referência para os bancos dianteiros herdados da Espace (podendo contar com regulação eléctrica, aquecimento e função de massagem), para o banco do passageiro da frente dobrável (dependendo do nível de equipamento) e para os bancos traseiros rebatíveis, a partir do ecrã de comando do sistema R-Link 2, ou da própria mala, através de um simples toque num botão.

10 fotos

A célebre consola central deslizante (agora dotada de ligações USB, Aux, tomada de 12 Volt) também faz parte dos atributos do novo Grand Scénic, assim como a gaveta deslizante Easy Life, situada em frente ao banco do passageiro dianteiro, também ela oriunda da Espace, a que se juntam os quatro compartimentos para arrumação de objectos integrados no piso.

Através do verdadeiro tablet que é o referido ecrã táctil a cores, de 8,7”, para comando do sistema de infoentretenimento R-Link 2, é possível controlar diversas funções do veículo, e ainda a navegação 3D, o sistema de som, a climatização ou o e-mail. É também aqui que, através do sistema Multi-Sense, o condutor pode eleger o seu modo de condução preferido a cada momento, entre cinco opções possíveis: Normal, Eco, Confort, Sport e Perso (configurável ao gosto de cada qual).

13 fotos

Em termos de segurança, haverá pouco a apontar ao novo Grand Scénic. Do seu argumentário, neste particular, fazem parte dispositivos como a travagem autónoma de emergência com detecção de peões), o cruise control adaptativo, o assistente à manutenção na faixa de rodagem, o alerta de fadiga do condutor, o alerta de transposição involuntária da faixa de rodagem, o alerta de colisão pela traseira, o sistema de leitura de sinais de trânsito, a monitorização do ângulo morto, a câmara de marcha-atrás, o assistente de máximos para médios, os sensores de estacionamento dianteiros e traseiros e o sistema Easy Park Assist, de estacionamento mãos livres – além de ajudar a identificar um lugar de estacionamento, mede o espaço disponível e assume o controlo da direcção para realizar a manobra.

Em Portugal, são três os motores disponíveis para o novo Grand Scenic, todos turbodiesel. O mais dotado é o Energy dCi 160, com dupla sobrealimentação, 160 cv e 360 Nm, sempre combinado com a caixa pilotada EDC de dupla embraiagem e seis relações, e capaz de permitir ao modelo alcançar 200 km/h, cumprir os 0-100 km/h em 10,7 segundos e anunciar um consumo combinado de 4,7 l/100 km. Em alternativa, são ainda propostos o Energy dCi 130, com caixa manual de seis velocidades, e o Energy dCi 110, com caixa EDC de sete velocidades.

Com cinco anos de garantia, e pagando Classe 1 nas portagens nacionais, desde que equipado com Via Verde, o novo Grand Scénic é proposto por 35.440€ na versão de 110 cv com nível de equipamento Intens, por 36.350€ na versão de 130 cv, associada também ao nível Intens (38.350€ com o nível Bose Edition), e por 41.290€ na variante de 160 cv, só disponibilizada com o nível Bose Edition.