Uma pessoa ficou ferida esta quinta-feira na sede do FMI, em Paris, depois de ter aberto um envelope armadilhado. O ferido é um assistente da direção e ficou ferido nas mãos e na cara, segundo a imprensa francesa. O edifício, perto dos Campos Elísios, não ficou danificado. Entretanto, a AFP anunciou que, segundo a polícia grega, é um grupo de anarquistas gregos que está por detrás do atentado.

Várias pessoas foram retiradas do local “como medida de precaução”, informou uma fonte das autoridades ao jornal Le Figaro. Segundo o chefe da polícia de Paris, Michel Cadot, tratava-se de uma espécie de “engenho pirotécnico ou petardo grande”, de cariz artesanal, mas “não era uma bomba”.

“A pessoa que abriu o envelope ficou ferida no rosto pelos estilhaços e sofreu também no tímpano com a explosão. Está atualmente em tratamento mas sem qualquer risco de vida”, acrescentou o chefe da polícia, que identificou a vítima como sendo secretário do representante europeu do FMI.

Mais tarde a polícia grega, segundo a AFP, deu conta de que um grupo de anarquistas gregos poderá ser o responsável pelo atentado, com a agência de notícias a acrescentar que foram encontrados fragmentos de selos gregos dentro da carta armadilhada. Trata-se do mesmo grupo anarquista radical grego, identificado como “Conspiração dos Núcleos de Fogo”, que esta quinta-feira enviou um pacote com explosivos para o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, mas que foi intercetado a tempo.

Christine Lagarde condena “ato cobarde de violência”

A diretora do FMI, Christine Lagarde, já confirmou que a explosão “causou ferimentos num dos nossos funcionários” e garantiu que está “em contacto com o escritório”. “Condeno este ato cobarde de violência e reafirmo a determinação do FMI para continuar o nosso trabalho em linha com o nosso mandato”, acrescentou Lagarde em comunicado, destacando que o FMI está “a trabalhar juntamente com as autoridades francesas para investigar este incidente e garantir a segurança dos funcionários”.

Entretanto, de acordo com a imprensa francesa, o procurador de Paris abriu um inquérito por tentativa de assassinato com suspeita de ligação a entidade terrorista.

O presidente francês, François Hollande, já classificou o ato como um “atentado”. “Somos sempre visados, foi no FMI mas foi em França, é um atentado a França”, disse, sublinhando que o estado de emergência “deverá ser prolongado até 15 de julho”.

Alemanha intercetou pacote explosivo dirigido a Schäuble

Esta quarta-feira, o Ministério das Finanças da Alemanha intercetou um pacote com explosivos que tinha sido enviado para o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble .

O pacote foi enviado a partir da Grécia e continha, segundo a imprensa alemã, “um dispositivo explosivo funcional”. O dispositivo foi desativado pelas autoridades e não chegou às mãos do ministro alemão.

O envio do pacote foi reivindicado posteriormente pelo SPF, um grupo anarquista radical grego, cujo nome se traduz em algo como “Conspiração dos Núcleos de Fogo”.