O futebol é um mundo de teorias, novas teorias e apostas vintage. Entre esses fenómenos, há um em particular que continua a dividir opiniões: ainda há espaço para um 10 numa equipa quando aquilo que se procura é um “nove e meio” que marque muitos golos ajudando ao mesmo tempo a principal referência atacante? No futebol, depende. No surf, um 10 está sempre à frente de tudo e todos. E o primeiro 10 no regresso da Liga Mundial foi para… Lakey Peterson. Se é verdade que o Quiksilver Pro Gold Coast teve um arranque em grande – que se tornou ainda maior com a qualificação de Frederico Morais de forma direta para a terceira ronda –, o Roxy Pro Gold Coast em nada ficou a dever à prova masculina. Neste caso, até nas notas.

A atual campeã mundial, a australiana Tyler Wright, abriu as hostilidades a sério na ronda de repescagens, depois de ter perdido com a compatriota Nikki van Dijk na primeira fase. Com um 9.50 logo a abrir, deixou quase encostada a também australiana Alyssa Lock, assegurando a passagem à ronda seguinte com um total acumulado de 17.50.

Mas o melhor ainda estava para vir: o último heat do segundo round, a americana Lakey Peterson garantiu a primeira nota 10 da Liga Mundial de 2017, já depois de ter conseguido um 9.27 duas ondas antes. Contra factos não houve argumentos e a brasileira Silvana Lima não teve qualquer hipótese, sendo afastada de prova com um acumulado de 13.40.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Agora, a terceira ronda promete escaldar no segundo heat, que colocará de novo em confronto Tyler Wright e Nikki van Dijk e juntará ainda… Lakey Peterson. A emoção está garantida.