O futebol nasceu em Inglaterra, no século XIX. Foi um exemplo. E ainda hoje, século XXI, serve de exemplo para tudo. Falamos de centralização dos direitos televisivos e lá se ouve “como a Premier League”. Falamos na melhor forma de alargar horizontes para outros países a nível de reputação de marca e lá se ouve “como a Premier League”. Falamos em estádios cheios e com jogos a horários mais acessíveis e lá se ouve “como a Premier League”. Já percebeu a ideia: apesar do progresso da Bundesliga enquanto organização, a Premier League continua a ser a principal referência. Ainda assim, não é pioneira em tudo. Neste caso, pelo contrário: finalmente, os clubes poderão ter patrocínios na manga das camisolas, com o Manchester City a ser o primeiro a chegar-se à frente.

O conjunto orientado por Pep Guardiola fechou esta sexta-feira acordo com os sul-coreanos da Nexen Tire, numa apresentação que, além do técnico, contou com os lesionados Gabriel Jesus e Gundogan além da jogadora da equipa feminina (conjunto que também entra neste negócio) Jill Scott.

Não foram conhecidos detalhes do negócio mas, quando o assunto foi discutido e aprovado no final de 2016, estimou-se que a colocação de patrocínios na manga poderia render cerca de 20% do que os main sponsors que têm a parte da frente da camisola. Ora, se as 20 equipas da Premier League recebem um total de 226,5 milhões de libras dos patrocinadores principais (cerca de 300 milhões de euros), poderão entrar mais 60 milhões nos cofres dos clubes.

Os outros e nós por cá

A publicidade nas mangas da camisola é algo normal nos principais clubes de Alemanha (desde 2016/17) ou Espanha (como o Barcelona, como se consegue ver na imagem em baixo de Luis Suárez), sendo também uma prática comum na nossa Primeira Liga. Aliás, desde que previamente comunicado e homologado pelo órgão, os próprios regulamentos de competições da Liga detalham a colocação de patrocínios, sem limite, em várias partes do equipamentos, umas mais comuns como a parte da frente de trás das camisolas, outras não tanto usadas como a manga esquerda (a direita fica para a imagem da competição), os calções ou a parte superior da lateral exterior das meias.

Ainda assim, nota-se uma curiosa diferença de utilização ou não de patrocinadores entre os grandes e os restantes clubes: enquanto Benfica, FC Porto e Sporting limitam os logótipos dos parceiros à parte frontal da camisola e à parte superior das costas, existem vários casos de equipas com patrocínios nas mangas (muitos deles em comum), além de outras soluções como a parte inferior das costas ou a parte lateral dos calções.