A maioria dos jovens adultos norte-americanos (57%) considera a presidência de Donald Trump ilegítima, incluindo três quartos de todos os entrevistados negros e a maioria dos de origem hispânica. São os resultados de uma sondagem da GenForward, que entrevistou 1833 pessoas dos 18 aos 30 anos.

Uma das razões apontadas pelos entrevistados foi o facto de Hillary Clinton, a candidata dos democratas, ter ganho o voto popular por uma margem de quase três milhões de votos, apesar de isso não se ter refletido nas nomeações para o Colégio Eleitoral, que por sua vez elege o Presidente. A legitimidade do Presidente já tinha sido questionada por nomes fortes da política como John Lewis, senador da Florida que disse que os “os russos ajudarem este homem [Donald Trump]a ser eleito e ajudaram a destruir a candidatura de Hillary Clinton”, escreve o diário britânico The Guardian.

No geral, apensas 22% dos adultos aprovam o trabalho de Trump como presidente, enquanto 62% desaprovam e os restantes ainda não têm uma posição definida. O Partido Democrata reúne mais simpatias entre esta faixa da população do que os republicanos, mas não passa o teste sem críticas: apenas 47% disseram ter uma opinião favorável do partido de Hillary Clinton e apenas 14% garantiram ter uma opinião “muito favorável” em relação aos democratas.

O Partido Democrata, porém, saiu melhor na fotografia tirada pelos jovens originalmente de minorias étnicas. Seis em cada dez jovens negros, asiáticos ou hispânicos tinham uma ideia positiva do partido.