Imigrantes Ilegais

Mais de 100 imigrantes ilegais expulsos todos os dias no enclave angolano de Cabinda

A polícia angolana está a expulsar diariamente entre 100 a 200 imigrantes ilegais detetados no enclave de Cabinda, apelando agora à colaboração da população através da denúncia de casos suspeitos.

Aquele oficial da Polícia angolana referiu que a imigração ilegal poderia ser acautelada se houvesse a colaboração da população

HELENA VALENTE/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A polícia angolana está a expulsar diariamente entre 100 a 200 imigrantes ilegais detetados no enclave de Cabinda, apelando agora à colaboração da população através da denúncia de casos suspeitos.

A preocupação foi levantada pelo comandante provincial da Polícia Nacional em Cabinda, comissário Eusébio Domingos e Costa, num encontro de sensibilização sobre o combate à imigração ilegal, com as autoridades tradicionais e responsáveis de comunidades do município de Cabinda.

Aquele oficial da Polícia angolana referiu que a imigração ilegal poderia ser acautelada se houvesse a colaboração da população, das autoridades tradicionais e dos coordenadores dos bairros.

O enclave de Cabinda, que não tem qualquer ligação terrestre aos restante território angolano, faz fronteira com a República do Congo e a República Democrática do Congo.

Eusébio Domingos e Costa, citado esta terça-feira pela agência noticiosa angolana, Angop, dirigiu-se sobretudo às autoridades tradicionais, solicitando-lhes que façam um cerco à imigração ilegal e denunciem os elementos criminosos nos variados bairros.

Depois do município de Cabinda, encontros com o mesmo objetivo serão realizados nos municípios de Cacongo, Buco-Zau e Belize.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições

Agora, até na Suécia!… /premium

João Carlos Espada
114

Os factos estão a revelar as trágicas consequências da dicotomia infeliz entre internacionalismo desenfreado e nacionalismo desenfreado. Já é mais do que tempo para recusar esse tribalismo primitivo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)