A polícia angolana está a expulsar diariamente entre 100 a 200 imigrantes ilegais detetados no enclave de Cabinda, apelando agora à colaboração da população através da denúncia de casos suspeitos.

A preocupação foi levantada pelo comandante provincial da Polícia Nacional em Cabinda, comissário Eusébio Domingos e Costa, num encontro de sensibilização sobre o combate à imigração ilegal, com as autoridades tradicionais e responsáveis de comunidades do município de Cabinda.

Aquele oficial da Polícia angolana referiu que a imigração ilegal poderia ser acautelada se houvesse a colaboração da população, das autoridades tradicionais e dos coordenadores dos bairros.

O enclave de Cabinda, que não tem qualquer ligação terrestre aos restante território angolano, faz fronteira com a República do Congo e a República Democrática do Congo.

Eusébio Domingos e Costa, citado esta terça-feira pela agência noticiosa angolana, Angop, dirigiu-se sobretudo às autoridades tradicionais, solicitando-lhes que façam um cerco à imigração ilegal e denunciem os elementos criminosos nos variados bairros.

Depois do município de Cabinda, encontros com o mesmo objetivo serão realizados nos municípios de Cacongo, Buco-Zau e Belize.