Quarenta e cinco milhões. É este o número de casais em todo o mundo que sofre de infertilidade. Em aproximadamente quarenta por cento destas situações a infertilidade é do homem. Foi recorrendo a estes números que uma equipa de investigadores da Universidade de Harvard resolveu criar um acessório móvel que permite, através do recurso a um smartphone, medir a qualidade do sémen.

O dispositivo de teste, ainda um protótipo, custará aproximadamente quatro euros e incluirá um instrumento para recolha e manuseio do sémen, um microchip, uma aplicação para smartphone e um manual de instruções. Os investigadores tencionam comercializa-lo logo que consigam as respetivas autorizações por parte das autoridades sanitárias europeias e norte-americanas.

Até hoje, a equipa liderada por Hadi Shafiee analisou com recurso a este teste cerca de trezentas e cinquenta amostras provenientes do Hospital Central de Massachusetts. A precisão dos resultados obtidos rondou os noventa e oito por cento e cada análise teve a duração de menos de cinco segundos. Os resultado destes testes foram entretanto publicados na revista Science Translational Medicine.

Os investigadores explicam que a qualidade do sémen está relacionada com três fatores: a concentração dos espermatozoides, a capacidade que estes têm em mover-se e também a sua morfologia. Atualmente os métodos de análise mais convencionais em hospitais e clínicas recorrem à contagem manual dos espermatozoides. “Estes métodos requerem muito trabalho, são dispendiosos e necessitam de laboratórios e técnicos”, explica Hadi Shafiee no estudo publicado na Science Translational Medicine. E acrescenta:”Este dispositivo pode fazer com que os testes de infertilidade masculinos sejam tão simples de usar como os de gravidez”.