A polícia angolana está a investigar a morte, a tiro, do autor de fotografias divulgadas pelos jovens ativistas do caso “15+2”, que denunciavam as más condições da cadeia de Viana.

Em declarações à agência Lusa, o chefe do gabinete de comunicação institucional e imprensa da delegação provincial do Ministério do Interior, inspetor-chefe Mateus Rodrigues, disse que a polícia tem essa ocorrência, registada quinta-feira, no município de Viana, por volta das 12h00.

Segundo Mateus Rodrigues, a polícia supõe que a morte terá ocorrido na sequência de um assalto, mas está a investigar para saber “o que é que efetivamente terá ocorrido e em que circunstâncias terá ocorrido a morte”. “Foi na sequência de um assalto, mas ainda não se sabe muito bem, o que efetivamente ocorreu”, disse Mateus Rodrigues, acrescentando que a vítima, se encontrava acompanhada de mais duas pessoas quando foi ferida a tiro, tendo sido levada ao hospital, onde acabou por falecer.

A vítima, cuja identificação não foi avançada, esteve detida na cadeia de Viana, onde fez fotos daquele estabelecimento prisional utilizadas por integrantes do grupo de ativistas conhecidos por “15+2”, incluindo o luso-angolano Luaty Beirão, condenados por rebelião e associação criminosa, para demonstrar publicamente as más condições daquele centro de reclusão.