A vila de Belmonte recebe entre 6 e 9 de abril a 27.ª edição do Colóquio da Lusofonia, que conta com a presença do prémio Nobel da Paz Ximenes Belo, anunciou esta sexta-feira a autarquia local.

“É uma presença que muito nos honra, bem como a participação das cerca de 70 pessoas que aqui vão estar nestes dias”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Belmonte, António Dias Rocha, na conferência de imprensa de apresentação desta e de outras iniciativas que esta vila do distrito de Castelo Branco acolherá de abril a junho.

Esta edição do Colóquio da Lusofonia realiza-se pela primeira vez numa localidade do interior do País e é organizada pela Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia em colaboração com a Câmara de Belmonte, e conta com o apoio da Universidade da Beira Interior, do Governo Regional dos Açores e da companhia aérea SATA.

A iniciativa integra várias sessões científicas, bem como quatro apresentações literárias, uma sessão de poesia a cinco vozes e três recitais do Cancioneiro Açoriano, e de poetas açorianos, executados ao piano pela maestrina Ana Paula Andrade, que será acompanhada ao violoncelo por Henrique Constância da Orquestra Metropolitana de Lisboa. O programa integra ainda atuações da Escola de Música de Belmonte e da Academia Sénior de Belmonte.

Segundo a organização, estarão representados 12 regiões e países, nomeadamente Alemanha, Açores, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Galiza, Índia, Luxemburgo, Portugal e Timor-Leste. Além de Ximenes Belo, que estará presente a partir de dia 7, a iniciativa também conta com inúmeros palestrantes, como por exemplo José António Salcedo ou João Malaca Casteleiro, e com vários autores, designadamente Urbano Bettencourt, que será o homenageado de 2017.

Salientando que todas as sessões são gratuitas, António Dias Rocha também vincou a relevância deste evento, já que contribui para aumentar a oferta cultural no concelho e na região, bem como para promover o território. “Esperamos que os participantes possam também divulgar e promover Belmonte quando saírem daqui e esperamos que as pessoas da região possam aderir a esta iniciativa e que nos venham visitar”, disse.

Nesta conferência de imprensa foi ainda anunciado que esta vila do distrito de Castelo Branco volta a receber uma extensão da Judaica, Mostra de Cinema e Cultura que também passa por Lisboa (28 a 2 de abril), por Cascais (6 a 9 de abril) e por Castelo de Vide (12 de maio a 10 de junho).

Belmonte receberá o cinema, os debates e os concertos relacionados com a cultura judaica entre 5 de maio e 3 de junho, sendo que nesta vila as sessões também são todas gratuitas. Já de 21 a 26 de abril realizam-se as festas do concelho, durante as quais será inaugurado o sistema de videoconferência do Julgado de Paz de Belmonte e a requalificação do pátio do Museu dos Descobrimentos.

A atribuição de distinções honoríficas e a atribuição do prémio Pedro Álvares Cabral aos melhores alunos do concelho também fazem parte do programa, onde constam ainda as atuações de Expensive Soul (21), Marco Paulo (22), Nuno da Câmara Pereira (23) e Cuca Roseta (24). Estes concertos têm bilhete no valor de um euro, mas as receitas revertem a favor dos Bombeiros Voluntários de Belmonte e da Santa Casa da Misericórdia de Belmonte.

Entre 17 e 21 de abril, será ainda a realizada em Belmonte a “Semana do Brasil”, que integrará a apresentação de jogos, filmes e gastronomia brasileira.