A Explore & Hunt é a vencedora da segunda edição da Tourism Innovation Competition, uma competição internacional de ideias inovadoras, promovida pelo Turismo de Portugal e The Lisbon MBA, que premiou a solução digital que é “uma mistura entre um guia turístico virtual e um jogo”. A aplicação criada por Eduardo Covelinhas foi considerada a ideia com mais potencial para melhorar a experiência de visita a monumentos e museus e atrair novos visitantes. Vai receber um financiamento, até 100 mil euros, da sociedade de capital de risco pública Portugal Ventures, para ser implementada em Portugal.

A aplicação tem um conjunto de jogos que permitem aos utilizadores explorar e descobrir cidades, monumentos e museus através de desafios e charadas. É como uma caça ao tesouro onde, cada vez que as pessoas superam uma etapa, vão aprendendo curiosidades sobre as atrações turísticas.

Um jogo na zona de Belém, por exemplo, tem uma série desafios que o utilizador tem de completar e que podem ser de vários tipos, desde como chegar a um determinado local, tirar uma fotografia em determinado ponto, encontrar um item específico num monumento ou responder a uma pergunta simples. Ao fazer esse itinerário, as pessoas ficam a saber um bocadinho mais”, explica Eduardo Covelinhas ao Observador.

O projeto começou no ano passado, depois de Eduardo, 37 anos, que trabalhava na área de telecomunicações, ter tirado um ano sabático para dar “a volta ao mundo”. Durante a viagem surgiram-lhe algumas dificuldades em encontrar alguns sítios e em gerir e ocupar o tempo. Quando voltou para Portugal começou a desenvolver a ideia que se transformaria na Explore & Hunt.

O nosso objetivo inicial era que as pessoas pudessem desfrutar um bom momento, que criassem boas memórias do nosso país, especialmente os turistas, e que quando chegassem aos países de origem pudessem divulgar a marca que é Portugal. Queríamos era que as pessoas tivessem boas experiências e que isso trouxesse um resultado positivo para o país”, refere o responsável.

A Explore & Hunt, que foi escolhida entre 60 candidaturas de vários países, já foi testada em Belém com mais de 50 equipas, envolvendo mais de 200 pessoas. “Temos um protótipo feito, uma aplicação para smartphones e tablets, e estamos agora a afinar qual será o melhor modelo de negócio. A nossa prioridade era testar o produto e achamos que isso foi um dos pontos relevantes para a escolha do júri porque não era só uma ideia, era algo que já estava a ser testado. Ainda não é um produto final mas está numa fase muito avançada de desenvolvimento”, explica Eduardo Covelinhas.

A previsão do responsável é a de que a aplicação seja lançada nos “próximos meses”. “Com o apoio do Turismo de Portugal e da Portugal Ventures, o projeto ganha uma escala diferente”, nota Eduardo, adiantando que depois do lançamento da aplicação em Lisboa e no Porto, a ideia é “expandir para a Europa”.

O Tourism Innovation Competition integra o Programa Turismo 4.0, iniciativa do Turismo de Portugal, que visa a promoção da inovação e do empreendedorismo no setor do turismo.

Além da Explore & Hunt estavam a concurso outros dois finalistas. A City Check é uma aplicação móvel que permite aos utilizadores participar em jogos enquanto estão a visitar uma cidade. Enquanto os turistas andam, o gps deteta a sua localização e a app dispara jogos relacionados com o ponto de interesse que estão a visitar, tal como jogos de pergunta-resposta, de imagens, de memória ou puzzles. Inclui ainda outras funcionalidades como uma checklist para que os utilizadores possam “riscar” da lista aquilo que já visitaram, e ainda sugestões de locais onde dormir, comer ou contactos úteis.

Já a Portugal Tourist’s virtual assistant funciona como um assistente virtual e chat dentro do Messenger do Facebook do Visit Portugal. A ideia foi desenvolvida pela Visor.ai, uma startup portuguesa especializada em soluções para assistentes virtuais. O que é que faz? Reconhece fotos tiradas a pontos de interesse, monumentos e pinturas e disponibiliza informação para interagir com os locais. Os dois finalistas receberam um prémio de 2.500 euros cada.

Na primeira edição da Tourism Innovation Competition, o vencedor foi um projeto de portugueses que permite analisar o comportamento dos turistas através das redes sociais.