“A Minha Vida de Courgette”, de Claude Barras, foi o vencedor do Grande Prémio MONSTRA. O anúncio foi feito este sábado, no Cinema São Jorge, onde decorreu a cerimónia de encerramento do Festival de Animação de Lisboa. O júri premiou o filme pela “pela sua sensibilidade e sua capacidade de expressar o espírito das crianças, através de um trabalho de uma animação subtil, encontramos um filme bonito e poético“. “A Minha Vida de Courgette”, exibido pela primeira vez no festival, recebeu ainda o Prémio do Público.

Ainda nas longas-metragens, “Ludovigo e Luca — A Grande Corrida do Queijo”, do norueguês Rasmus A. Sivertsen, ganhou o prémio de Melhor Filme para a Infância e Juventude. O filme “Window Horses – A Epifania Poética Persa de Rosie Ming”, de Ann Marie Fleming, recebeu uma Menção Honrosa e “Louise à Beira-Mar”, de Jean-François Laguionie, o Prémio Especial do Júri.

Na competição portuguesa, o Prémio de Melhor Filme Português — Prémio SPA foi para o videoclip da música “É Preciso que Eu Diminua”, de Samuel Úria, realizado por Pedro Sarrazina. O galardão foi atribuído “pela qualidade da relação entre a animação e o som, pela qualidade do movimento da câmara e pelo desenho, relação de contraste e metáforas visuais“.

Nas curtas-metragens, o vencedor foi o francês “Periferia”, de David Coquart-Dassault. Na secção de curtíssimas, dedicada a filmes com menos de dois minutos, o prémio de Melhor Curtíssima Portuguesa foi para “A Lenda de Stingy Jack”, de Andreia Reisinho Costa, com texto da jornalista do Observador Rita Cipriano e locução do jornalista do Observador Pedro Esteves. A Melhor Curtíssima Internacional foi para “Circuito de Bicicleta”, da belga Jasmijn Cedee.

O Grande Prémio Monstrinha foi para o filme”Amoras”, da russa Polina Minchenok, que, de acordo com o júri da MONSTRA, “oferece uma narrativa enternecedora, complementada pela riqueza do detalhe, a emoção de mãos dadas com a animação, resultou num trabalho que fica com espectador e o acaricia. A linguagem é universal e fala com adultos e graúdos”.

Na Competição de Estudantes, o filme japonês “Olha Apenas para Mim”, de Tomoki Misato, foi considerado a Melhor Curta de Estudantes. “Lugar em Parte Nenhuma”, realizado por Bárbara de Oliveira e João Rodrigues, foi galardoado com o Prémio de Melhor Curta de Estudantes Portuguesa.

Este domingo há sessões de premiados na MONSTRA

A MONSTRA — Festival de Animação de Lisboa termina este domingo, com sessões dedicadas aos vencedores desta edição. “A Minha Vida de Courgette”, de Claude Barras, vai ser exibido às 20h, no Cinema São Jorge, na Avenida da Liberdade, e “Louise à Beira-Mar”, vencedor do Prémio Especial do Júri, às 22h, no Cinema Ideal, na Rua do Loureto (Chiado).

As curtas-metragens premiadas vão ser exibidas em duas partes: numa sessão este domingo no Cinema São Jorge, às 18h, e na segunda-feira, às 22h, no Cinema Ideal.