Os Estados Unidos condenaram esta segunda-feira a detenção de “centenas de manifestantes pacíficos” na Rússia, incluindo um dos principais dirigentes da oposição russa Alexei Navalny, no dia de protesto contra a corrupção convocado pelo político. “Os Estados Unidos condenam veementemente a detenção de centenas de manifestantes pacíficos na Rússia no domingo”, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, num comunicado divulgado pela imprensa norte-americana.

“Estamos preocupados ao saber da detenção da figura da oposição Alexei Navalny, assim como pelas rusgas da polícia à organização anticorrupção que ele lidera”, sublinhou Toner. O porta-voz do Departamento de Estado acrescentou que “deter manifestantes pacíficos, observadores de direitos humanos e jornalistas é uma afronta aos valores democráticos essenciais”, acrescentou Toner.

Dezenas de milhares de russos participaram no domingo no dia nacional de protesto contra a corrupção convocada por Navalny, candidato à presidência da Rússia, com reuniões e manifestações em todo o país, e que em Moscovo resultaram em centenas de detidos.

O dia nacional de protesto foi convocada sob o lema “Dimon (diminutivo de desprezo de Dmitri) o pagamento”, numa alusão ao primeiro-ministro russo Dmitri Medvedev que Navalny considera ser o homem mais corrupto na Rússia.