Naseer Shamma, natural do Iraque e conhecido por ser um dos maiores mestres de alaúde árabe, já chegou a estar condenado à morte em 1991, quando Sadam Hussein ainda governava o país. Agora, e passados 26 anos, lidera um projeto para reconstruir Bagdade depois da guerra, que já dura desde 2003. A remodelação de 20 áreas urbanas e a abertura de três museus em solo iraquiano já contam com a aprovação do Governo, de acordo com o El País.

Já começámos a restaurar as áreas e prevê-se que as obras fiquem concluídas daqui a dois meses”, revelou o músico, em declarações à Casa Árabe, uma das suas escolas de música.

A transformação de Bagdade visa, sobretudo, a criação de um destino turístico, não só para os iraquianos, como para qualquer pessoa que queira visitar o país. O investimento para as áreas que irão ser remodeladas ronda os 278 mil euros e vai ser financiado por bancos privados iraquianos. “O dinheiro vem de bancos privados iraquianos e encontra-se depositado numa conta do Banco Central do Iraque, supervisionada pelo governador da instituição para o proteger da corrupção”, explicou Shamma. A decisão do financiamento do projeto foi levada a cabo há cerca de dois meses pela Liga de Bancos do Iraque, que acordou reunir um total de dez milhões de dólares – 9.206.660 euros – para restaurar as zonas marcadas pelo rasto da guerra e do terrorismo.

Além da reestruturação das 20 áreas urbanas, o músico tem ainda permissão, por parte do Governo, para criar mais seis projetos em Bagdade. Já estão em vista mais três museus e, um deles, com o nome previsto de “Museu das Civilizações”, deverá contar com o apoio financeiro da China.

Mas os desejos de Naseer Shamma não acabam aqui. O iraquiano faz também questão de ajudar as crianças que foram vítimas da destruição da grande guerra. “O sonho continua e, enquanto houver fôlego, vou tendo novas ideias”, realçou.

Professor, investigador e criador, Naseer Shamma é considerado um dos maiores professores de alaúde, um instrumento musical da família dos cordofones que toca desde os 14 anos. Nasceu em 1963, no Iraque, e estudou no Conservatório de Música Árabe com grandes músicos de renome. Já abriu diversas escolas de música, chamadas Casa Árabe do Alaúde . Já chegou também a compor música para filmes, peças de teatro e televisão.

O músico já marcou presença em Portugal, no Teatro São Luiz, em Lisboa, em julho de 2015.

Percorra a fotogaleria e confira aquele que pode ser o futuro da cidade de Bagdade.