O fabricante italiano de automóveis topo de gama Maserati vai chamar à revisão quase 40.000 veículos vendidos na China, a maioria devido a um problema com a cablagem que origina riscos de incêndio, informaram esta terça-feira as autoridades.

Em comunicado, a Administração-Geral de Supervisão da Qualidade, Inspeção e Quarentena da China explica que os cabos dispostos debaixo dos assentos elétricos da frente podem gerar fricção ao serem ajustados, o que poderá resultar num curto-circuito e consequente incêndio. Os modelos afetados são os sedans Quattroporte (11.815), Ghibli (14.004) e o Levante (5.802), fabricados entre março de 2013 e dezembro de 2016.

A revisão começa no próximo dia 30 de junho. Os restantes 7.660 veículos são unidades do SUV Levante, fabricados entre 31 de maio de 2016 e 27 de fevereiro de 2017, e que serão chamados à revisão a partir desta semana. Os preços dos modelos oscilam entre 911.000 yuan (122.000 euros) e três milhões de yuan (401.000 euros).

No ano passado, a Maserati chamou 21.000 veículos à revisão na China, devido a um defeito no desenho do pedal do acelerador.