A REN – Redes Energéticas Nacionais fechou 2016 com um lucro de 100,2 milhões de euros, uma queda de 13,7% face ao ano anterior, o que é justificado com ganhos não recorrentes registados em 2015.

Em comunicado ao mercado, a empresa liderada por Rodrigo Costa explicou que em 2015 teve ganhos não recorrentes com a venda da participação na Enagás – em que a REN arrecadou 16,1 milhões de euros – e um crédito fiscal de 9,9 milhões de euros.

De forma negativa, pesou a manutenção da Contribuição Extraordinária sobre o Setor Energético (CESE) no valor de 25,9 milhões de euros.