O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa anunciou esta quinta-fera em comunicado que os cinco futebolistas (Tiago Rosa, Tiago Mota, Hugo Grilo, Tiago Costa e Pedro Mendes) que foram detidos no âmbito da “Operação Jogo Duplo” foram suspensos temporariamente da prática desportiva e constituídos arguidos. Todos estão sujeitos à proibição de contactar entre si ou com testemunhas do processo.

A Polícia Judiciária deteve esta quarta-feira no âmbito da “Operação Jogo Duplo” cinco futebolistas da II Liga e um membro da claque Super Dragões por suspeitas de corrupção. À época dos factos, três dos futebolistas detidos jogavam no Oriental. Os restantes representavam o Penafiel e o Académico de Viseu.

Bruno Mendes, membro da claque Super Dragões, foi indiciado por seis crimes de corrupção ativa em competição desportiva terá de pagar uma caução de 5.000 euros.

Esta é a segunda fase da “Operação Jogo Duplo”. A primeira culminou com a detenção de 15 jogadores e dirigentes do Leixões, Oliveirense e Oriental, no final da última jornada da época 2015/16, em maio.