Pelo menos quatro manifestações fecharam esta quinta-feira alguns acessos importantes a São Paulo, a maior cidade do Brasil, para protestar contra o Governo do Presidente Michel Temer e também pedir mais programas de habitação social.

Um dos protestos cortou o fluxo automóvel na Radial Leste, uma importante via de acesso que liga o centro de São Paulo com os bairros orientais da cidade brasileira.

Os manifestantes carregavam cartazes com mensagens, como “Fora Temer”, ou ainda pedindo uma reforma urbana urgente para resolver o défice habitacional que existe em algumas cidades brasileiras, incluindo São Paulo.

Realizaram-se ainda outros três protestos pacíficos em outras partes da capital do estado, convocados por movimentos sociais, que tiveram um público pequeno.

As manifestações ocorreram na hora de ponta da manhã, causando problemas de tráfego para os veículos que tentavam chegar ao centro de São Paulo.

O Governo de Temer anunciou este ano a ampliação de um programa de habitação social, que aumenta em quase 50% o limite máximo de rendimento do agregado familiar para ter acesso ao plano, que passará agora a nove mil reais (2,6 mil euros).

Os movimentos sociais criticaram a proposta porque acreditam que esta extensão do limite vai beneficiar setores que não possuem tantas dificuldades e poderá transformar o programa social num “plano de crédito imobiliário”.