Apesar do sinal forrado a preto e branco que se vê numa parede, não é propriamente fácil dar de caras com este espaço dedicado a vinho, plantado no coração do Chiado e aberto desde meados de março. Uma vez ultrapassada a porta, toda a discrição fica para trás. Lá dentro, o Wine District não passa despercebido, dada a sua dimensão e ambição.

O motivo do nome ninguém nos sabe dizer. Tal como um qualquer final aberto, de um livro ou de um filme, somos convidados à interpretação e consequente imaginação: dadas as diferentes divisões e os vários locais de degustação de um espaço que chega a ocupar 600 metros quadrados, é seguro dizer que este é, na verdade, um distrito do vinho. E se o bar fosse, em si, uma divisão administrativa, os diferentes produtores de vinho ali representados formariam um governo local povoado por enófilos.

Na prática, o Wine District é um wine bar, uma petiscaria, uma garrafeira e uma loja apostada em produtos de charcutaria. O conceito promovido entre as suas quatro paredes distingue-o de outros bares na capital: tudo o que é bebido e petiscado por estas bandas pode ser levado para casa. O vinho que chega ao copo pode ser adquirido na garrafeira e os queijos, enchidos e conservas são comprados na loja que fica junto à porta — é a primeira coisa que vemos quando aqui entramos.

5 fotos

No Wine District não há cozinha, embora todos os pratos sejam arranjados atrás do balcão, à vista de quem ali se queira sentar. Quem diz pratos, diz pratinhos, até porque na ementa deste wine bar apenas constam petiscos (feitos à base de conservas), saladas, empadas (destaque para a empada de cozido à portuguesa), tostas e sobremesas (como o saboroso gelado de Moscatel). As tábuas de queijos e enchidos não podiam faltar, bem como o pão de trigo ou a broa de milho para ser afundada em azeite alentejano.

Acertou. O Wine District é um elogio aos produtos regionais portugueses e, apesar de nos garantirem que na carta de vinhos há propostas da maior parte das regiões portuguesas, há um especial carinho pelos rótulos de Lisboa e de Vale do Tejo. Não é de estranhar, uma vez que o projeto está associado à Quinta de São Sebastião e aos vinhos Marufa (aliás, o único vinho servido a copo diz respeito a estes dois produtores).

O espaço que esteve fechado ao público durante mais de dez anos promete agora ser um ponto de referência, com capacidade para acomodar até 180 pessoas sentadas, de tantas que são as zonas de degustação — seja, como já referimos, ao balcão feito de barrica de carvalho francês e americano, nas mesas coladas à paredes adornadas de folhas de videira, na mezzanine ou na esplanada, cujo chão em mosaico e a vista para o céu prometem particular ocupação nos meses de verão.

Nome: Wine District
Morada: Rua Ivens, 44 (Chiado)
Telefone: 21 130 9361
Horário: Terça a domingo das 12h às 00h
Preço médio: 15€ a 20€ euros por pessoa
Reservas: aceitam