Estalou o verniz no aparelho socialista bracarense. Hugo Pires, secretário nacional para a organização do PS e vereador da autarquia minhota, não gostou de ler a entrevista de Miguel Corais, candidato do PS à Câmara de Braga, ao Expresso e fez questão de o dizer. No Facebook, o dirigente socialista não poupa o “camarada” do próprio partido: “Trata-se de uma entrevista desajustada no tempo e no modo”, marcada pela falta de “mediocridade das ideias, a pequenez de espírito e a falta de elevação moral”, escreve o socialista.

Nessa entrevista [link para assinantes], Miguel Corais denuncia aquilo que diz ser “o desgaste e erros de percurso da gestão de Mesquita Machado, quase inevitáveis quando se está no poder durante quase quatro décadas”, critica a forma como Hugo Pires liderou a concelhia PS/Braga e defende que “não há socialistas mediáticos” em Braga porque Mesquita Machado “secou” tudo à volta “pela sua longevidade e notoriedade”.

Hugo Pires, ex-delfim de Mesquita Machado, liderava os estudos de opinião internos para avançar para a Câmara de Braga. Era o favorito do aparelho socialista, mas o facto de ser arguido no processo por corrupção, num caso que envolve também Mesquita Machado, hipotecou as suas hipóteses, como conta o Expresso. A escolha recaiu então sobre um gestor e professor universitário sem grande notoriedade, ainda que Miguel Corais garanta que “vai ser a grande surpresa” da noite eleitoral.

De resto, o candidato a autarca socialista insiste nas críticas ao aparelho socialista: “Não tomo decisões por sondagens, nem me revejo em políticos táticos e calculistas, que se escondam atrás da cortina e só aparecem quando as vitórias são fáceis”.

Para não deixar dúvidas, Miguel Corais ainda volta à carga mais à frente: “Fui um lobo solitário a olhar sem medo para a alcateia durante o período de balcanização que o partido foi apeado do poder, sem perceber durante muito tempo que precisava de fazer mea culpa, regenerar-se e renovar-se”.

Ora, para Hugo Pires, as palavras de Corais são uma tentativa de “ajuste de contas com o PS”. Escreve o deputado socialista: “Depois de ter lido a entrevista que o candidato à Câmara de Braga do Partido Socialista deu a um órgão de comunicação social, impõe-se, que eu tire as devidas ilações!… Trata-se de uma entrevista desajustada no tempo e no modo, que não tem como objetivo agregar e somar apoios para uma candidatura de futuro mas, isso sim, fazer um ajuste de contas com o PS”.

Hugo Pires termina o texto prometendo, ao “contrário de outros”, empenho em fazer de Braga uma cidade melhor. “Braga está sempre primeiro lugar”, escreve o socialista.