A Direção-Geral de Saúde requisitou cerca de sete mil vacinas contra a hepatite A ao circuito comercial, que serão administradas gratuitamente e sem pagamento de taxa moderadora na Unidade de Saúde da Baixa, em Lisboa.

Segundo o diretor Geral da Saúde, a medida excecional visa combater o surto epidémico de hepatite A, que atinge Portugal bem como outros países europeus, e já com mais de 123 pessoas infetadas no país.

No final de um encontro que juntou o diretor-geral de Saúde, o Infarmed, Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Instituto Nacional Ricardo Jorge, Grupo Ativista pelo Tratamento (GAT) e a Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero (Ilga), Francisco George garantiu que Portugal tem meios para combater este surto epidémico e que há vacinas suficientes.

Francisco George disse ainda que se estima serem necessárias duas mil vacinas para contornar o problema e que, neste momento, as autoridades de saúde dispõem de sete mil doses. Estas doses encontravam-se à venda em farmácias, mas foram requisitadas no âmbito desta medida excecional.