Mais de dez mil pessoas manifestaram-se este domingo em Budapeste para apoiar a universidade financiada pelo multimilionário norte-americano George Soros, contra a qual o governo da Hungria quer legislar.

Estudantes, antigos alunos, funcionários e apoiantes da Universidade da Europa Central, financiada por George Soros, que tem ascendência húngara, juntaram-se numa multidão com dísticos em que reclamavam liberdade para o ensino.

A universidade, fundada em 1991, é o alvo de um projeto de lei do governo liderado por Viktor Orban que afeta as universidades de países que não sejam da União Europeia e as impede de emitir diplomas sem um acordo governamental.

O governo da Hungria pretende também banir as universidades cujos currículos sejam diferentes daqueles dos países de origem e alega que a universidade de Soros tem uma “vantagem injusta” porque pode emitir diplomas húngaros e também norte-americanos.

O Departamento de Estado norte-americano pronunciou-se contra medidas legislativas que possam comprometer o funcionamento da universidade ou a sua independência.

Nascido na Hungria, Soros tornou-se adversário de Viktor Orban e de outros líderes da Europa Central e dos Balcãs que o acusam de interferir nos assuntos dos seus países através das organizações que financia.