Marco Gonçalves, jogador do Canelas que agrediu um árbitro este domingo, voltou a ser ouvido no Tribunal de Instrução Criminal do Porto esta tarde e ficou proibido de entrar em recintos desportivos e de contactar árbitros. O jogador vai também responder pelo crime de ofensa à integridade física qualificada.

Jogador que agrediu árbitro fica com termo de identidade e residência

Este tem sido um dia longo para o atleta, que é também membro da claque do FC Porto, Super Dragões. De manhã, tinha sido ouvido no Tribunal de Gondomar, saindo com termo de identidade e residência. À tarde, e como o Ministério Público pediu medidas mais gravosas, Marco Gonçalves, de 34 anos, foi ouvido no TIC do Porto.

As medidas aplicadas foram confirmadas pelo advogado do jogador, Nélson Sousa. Acrescente-se que, já ontem, domingo, Marco Gonçalves tinha pedido desculpa pelo ato ao árbitro, à família, ao Canelas e ao Rio Tinto. “Nós temos alguém que é dirigente na FPF e que na fase final de um Campeonato do Mundo agrediu um árbitro. Todo o país o defendeu e eu até acho muito bem”, disse o advogado, numa referência à expulsão de João Vieira Pinto no Mundial de 2002. “Se calhar esse crime de ofensa à integridade física qualificada não é admissível neste caso, vamos ver”, acrescentou.

Futebol. Árbitros tinham pedido escusa aos jogos do Canelas

De referir que, como avançou o Observador, a APAF vai reunir esta terça-feira com a Associação de Futebol do Porto e com os presidentes dos núcleos de árbitros do Porto, por forma a haver um consenso sobre o que fazer em relação aos jogos do Canelas, clube que já tinha visto 12 equipas adversárias recusarem-se a entrar em campo na primeira fase da Divisão de Elite dos distritais do Porto.