A taxa de desemprego em Portugal desceu de 12,2% (em fevereiro de 2016) para 10% em fevereiro último, confirmou esta segunda-feira o Eurostat. Só em Espanha houve uma queda maior, em termos nominais, já que no país vizinho a taxa desceu de 20,5% para 18% no mesmo período comparativo.

Apesar da redução do desemprego em Portugal, para os níveis mais baixos desde 2009, o país continua a ter a quarta taxa de desemprego mais elevada da zona euro, a par de França. Olhando para a totalidade da União Europeia, Portugal tem a sexta maior taxa de desemprego.

Na média da zona euro, a taxa de desemprego caiu para 9,5%, um mínimo de oito anos. E a tendência é para o emprego continuar a acelerar, nos próximos meses, já que as perspetivas de contratação nas empresas fortaleceram-se nos últimos meses e o crescimento económico tem sido robusto”, escreve o economista Bert Colijn, do banco holandês ING.

Um dado mais preocupante é que a taxa de desemprego jovem na zona euro continua num nível elevado, em 19,4% (era 21,6% há um ano). Os piores países, neste elemento, são Grécia (45,2% dos jovens desempregados), Espanha (41,5%) e Itália (35,2%).