Dark Mode 114kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

As marcas de segurança que se escondem na nova nota de 50 euros

Hologramas, números invisíveis, cores que mudam com a inclinação e símbolos que se revelam com a luz. São alguns segredos da nova nota de 50 euros que a tornam num quebra-cabeças para falsificadores.

i

A nova nota de 50 euros tem medidas de proteção mais apuradas que a tornam quase impossível de falsificar

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A nova nota de 50 euros tem medidas de proteção mais apuradas que a tornam quase impossível de falsificar

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Tudo foi pensado para dificultar a vida aos falsificadores. O papel é mais áspero e firme ao toque, tem mais tons de laranja do que de amarelo e as marcas de segurança ocultas na impressão são mais e ainda mais sofisticadas do que na anterior versão. Se ainda não tem nas mãos a nova nota de 50 euros que o Banco Central Europeu (BCE) colocou hoje a circular, prepare-se: é assim que ela lhe vai aparecer.

Há uma boa razão para se apurarem as medidas de segurança: a nota de 50 é a mais usada na zona euro e, também, a mais falsificada, seguida de perto pela de 20 euros. E, por isso, são muitas as marcas visíveis – mas também ocultas – no processo de impressão, e que o BCE recomenda que se verifiquem em três simples passos: tocar, ver e inclinar. A começar no papel, mais rígido e áspero, e com duas séries de 32 pequenas barras laterais, negras e em relevo.

Num dos lados surge a sigla do BCE, também em relevo, e em dez idiomas (antes surgia só em cinco), impressa numa nota onde se destacam, na frente, uma ponte sobre o mapa da Europa (já atualizado com Chipre e Malta, os últimos a entrarem na União Europeia) e, no verso, um detalhe de arquitetura renascentista. Os elementos em relevo do desenho assinado pelo alemão Reinhold Gerstette são um dos truques de segurança que o BCE destaca.

Mas é no olhar e no inclinar da nota que se detetam as técnicas mais apuradas de segurança e que a tornam quase impossível de falsificar. Além de um holograma numa das faixas laterais, a nova nota tem uma pequena ‘janela’ transparente e sensível à luz nos dois lados. Mais: a personagem mitológica Europa, que dá nome a esta nova série de notas, aparece de duas formas distintas na nota – de um lado como retrato holográfica, do outro como marca de água. Algumas destas zonas – tal como o valor de 50 euros impresso em vários pontos, o número de série e outras inscrições – mudam de cor quando se inclina a nota. O 50 passa de verde para azul metalizado, por exemplo, e em redor do retrato de Europa

Confira abaixo algumas destas marcas de segurança na própria nota.

As medidas de segurança vão desde uma milimétrica faixa negra ao centro da nota com a inscrição do número 50 e do símbolo do euro (€) a branco, difíceis de ver sem o auxílio de uma lupa. O mesmo se aplica aos símbolos e ao retrato holográfico de Europa, que surge rodeado com inúmeros pequenos mosaicos em todos os tons do arco-íris. Há ainda várias zonas da nota onde foram impressas letras e símbolos quase microscópicos, que não podem aparecer com ‘borrões’ (se aparecerem, desconfie da nota…) e que também só se visualizam com lupa.

Há ainda dois testes definitivos de segurança: submeter a nota a luz ultravioleta e a infravermelhos. No primeiro caso, revela-se uma ‘nova nota’ – as fibras no papel vão emitir diferentes figuras e símbolos em três cores distintas, como por exemplo as estrelas da União Europeia que aparecem em amarelo, no verso da nota surge um quarto de círculo num verde luminoso e o número de série da nota brilha em vermelho. Se sujeitar o papel ao exame de infravermelhos, a imagem que surge – a lembrar um raio-X – deixa apenas visível metade da imagem central impressa na nota, o valor nominal e o número de série. Tudo o resto fica ‘invisível’.

O verso da nota apresenta ainda uma curiosidade: a palavra ‘euro’ escrita também em latim, grego e cirílico. As próximas versões novas poderão ser as de 100 e 200 euros e já há quem ironize que o Reino Unido possa ficar fora do mapa da União Europeia nas próximas atualizações das notas.

Portugal com 200 milhões de novas notas

A nova nota de 50 euros da série Europa foi apresentado pelo Banco Central Europeu (BCE) em Junho do ano passado, em Frankfurt. Na altura foi explicado que a nova nota cor de laranja traduz um avanço na segurança e surge depois de terem sido introduzidas notas, alegadamente também mais seguras, de cinco, dez e 20 euros da segunda série de notas. No mesmo comunicado, o BCE lembrou que a nota de 50 é a mais utilizada e também a mais falsificada, uma vez que, da totalidade das notas em euros em circulação, mais de oito mil milhões, ou 45% do total, são de 50 euros.

Em meados de julho, poucas semanas depois dessa apresentação pelo BCE, o Banco de Portugal (BdP) fez também uma apresentação em Lisboa, sobre a nova nota de 50 euros, em que anunciou que iria colocar em circulação 200 milhões de novas notas, depois de ter introduzido novas notas de cinco, dez e 20 euros.

Em Portugal, a nota de 50 euros é pouco utilizada, usando-se mais as de 10 e 20 euros. Mas no resto da União Europeia a nota de 50 euros representa 45% da circulação de notas e, por isso, é a nota mais usada”, explicou o administrador do banco central, Hélder Rosalino.

A nova nota cor de laranja vai circular ao mesmo tempo da atual nota do mesmo valor, não sendo necessária qualquer deslocação a um banco para fazer a troca das notas antigas. “Ninguém está mandatado para trocar notas em nome do BdP ou outras instituições”, avisou o responsável do BdP. No dia em que entrou em circulação esta nova nota de 50 euros, o banco central apresentou-a, em conferência de imprensa, no Complexo do Carregado, o cofre-forte onde estão as divisas de ouro nacional e que tem capacidade para o fabrico de notas, com a presença do administrador do banco central, Hélder Rosalino.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.