Em 2016 foram levantados do Banco de Portugal menos 102 milhões de euros em notas e depositados menos 293 milhões de euros também em notas, face a 2015, revela o relatório da Emissão Monetária 2016 divulgado esta terça-feira.

O relatório foi divulgado no Complexo do Carregado do Banco de Portugal (BdP), em Alenquer, a casa-forte onde estão quase metade das reservas de ouro do país, num encontro para apresentar a nova nota de 50 euros, que esta terça-feira entrou em circulação.

Segundo o relatório do BdP, foram levantados do banco central no ano passado 10.570 milhões de euros em notas (menos 102 milhões de euros do em 2015) e depositados 12.152 milhões de euros (menos 293 milhões de euros).

De acordo com o documento, os levantamentos ultrapassaram os depósitos, tendo sido levantados do banco central 45 milhões de euros (mais cinco milhões do que em 2015) e depositados oito milhões de euros (menos 15 milhões de euros).

A nota de 20 euros e a moeda de 1 euro voltaram a ser no ano passado as mais usadas em Portugal, representando 54,3% dos levantamentos de notas junto do BdP e 53,2% dos levantamentos de moedas.

No mesmo relatório, o BdP esclarece que nos últimos 10 anos foram levantados, em média, 61 milhões de notas de todas as denominações, no valor de 1.028 milhões de euros.

As notas de valor mais elevado — 100 euros e 500 euros — representaram entre 2007 e 2016 cerca de 6% de todo o valor levantado.

Nos últimos 10 anos, “o maior valor mensal levantado coincidiu com o início da crise financeira internacional (em outubro de 2008, após a falência do Lehman Brothers [banco de investimentos dos Estados Unidos]), cujo efeito se fez sentir tanto em Portugal como na área do euro”, lê-se no documento.

No encontro desta terça-feira foi realizada uma visita com a imprensa à casa-forte, para conhecer o laboratório de análise de contrafação e a sala de saneamento (onde se verifica o estado das notas depositadas no BdP para decidir de reentram em circulação).