A produção hidroelétrica caiu 52% no primeiro trimestre do ano em relação ao período homólogo, para 3.140 Gigawatt-hora (GWh), tendo sido ultrapassada pela produção eólica e a gás natural, segundo dados da REN – Redes Energéticas Nacionais. Nos primeiros três meses de 2017, a produção renovável abasteceu cerca de metade do consumo nacional de eletricidade, tendo as hídricas representado 19%, devido às afluências às barragens continuarem abaixo da média, e as eólicas 26%.

As não renováveis abasteceram os restantes 49% do consumo nacional, repartidas por carvão, com 22%, e pelo gás natural, com 27%. Já o consumo de eletricidade em março registou um recuo de 2,5% em relação ao período homólogo, o que é justificado pelas temperaturas bastante baixas em março de 2016, que fez disparar o consumo naquele mês, segundo a gestora das redes energéticas.

Mas, corrigido o efeito da temperatura e número de dias úteis, o consumo de 4.235 GWh representa um aumento de 0,1% em março face ao mesmo mês de 2016. Já em termos acumulados, no primeiro trimestre do ano, o consumo de eletricidade registou uma variação de 0,2% face ao período homólogo do ano anterior, valor com correção de temperatura e dias úteis. O saldo de trocas com Espanha continuou a ser exportador, sendo que em março foi equivalente a 7% do consumo nacional e, no primeiro trimestre do ano, equivalente a 9% do consumo nacional.