A Turquia responsabilizou esta terça-feira o regime sírio de Bachar al-Assad a autoria do alegado ataque com armas químicas contra a localidade síria de Jan Shijún, na região de Idleb, afirmou o porta-voz da Presidência.

Ibrahim Kalin acrescentou que o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, telefonou ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, para qualificar o massacre de “inaceitável”. Em declarações à cadeia televisiva NTV, Kalin afirmou: “O regime de Al-Assad perpetrou hoje um ataque contra civis em Idleb, na Síria. Condenamos rotundamente este incidente, que equivale a um crime de guerra e a um crime contra a humanidade”.

Acrescentou que Erdogan tinha falado esta terça-feira com Putin, que apoia militarmente Al-Assad, para “sublinhar que o ataque desumano em Idleb é inaceitável e que as ações do regime (sírio) ameaçam o cessar-fogo”.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, que citou fontes médicas e ativistas, pelo menos 58 pessoas, incluindo 11 crianças, morreram e dezenas ficaram feridas esta terça-feira durante um suposto bombardeamento químico de Jan Shijún, uma cidade de 75.000 habitantes, sob controlo do Exército Livre Sírio, oposto a Al-Assad.