O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, assegurou este sábado que os comunistas serão sempre contra qualquer solução que passe por vender o Novo Banco “a grupos privados e passar a fatura ao povo”.

“Todas as decisões que visem integrar o Novo Banco no setor público bancário contarão com a nossa força e a nossa iniciativa. Para vender o banco a grupos privados e passar a fatura ao povo, sabem que contarão com a nossa oposição”, afirmou o secretário-geral, no discurso de encerramento do encontro nacional do PCP sobre as eleições autárquicas de 01 de outubro que hoje decorreu em Lisboa.

Para o líder comunista, o processo de venda do Novo Banco confirma que “a banca ou é pública ou é entregue aos estrangeiros”.

“A venda do Novo Banco que o governo PS quer agora concretizar é a posição defendida desde o início por PSD e CDS, é uma opção que prejudica país e o povo e que o PCP rejeita”, sublinhou.