Rádio Observador

Dicas Auto

Pechincha. Sentir as emoções de um Ferrari por 30€

221

Quer sentir as acelerações de um Ferrari, o poder de travagem e a tremenda velocidade que atinge em curva, que nos leva o coração à boca? Pode ser tudo seu. E por apenas 30€.

Autor
  • Francisco António

Os Ferrari, à semelhança dos restantes elementos da exclusiva família dos superdesportivos, são modelos tão belos quanto agressivos, cuja estética não deixa ninguém indiferente. Mas é a sua utilização, especialmente em ritmo desportivo, que gera as maiores paixões, pois a sua capacidade de aceleração é lendária, o poder de travagem mítico e a capacidade de curvar depressa só é explicada pelo facto de recorrerem a chassis e suspensões similares aos utilizados nos carros de competição.

É claro que, para sentir tudo o que um Ferrari tem para dar, nada melhor do que adquirir um dos exemplares do reputado fabricante de Maranello. Mas isto é, normalmente, mais fácil de dizer do que materializar. Essencialmente porque obriga a um investimento avultado, que pode oscilar entre os 228 mil euros de um California e os 1,27 milhões euros do LaFerrari. Para os que não se podem dar a este luxo, a Ferrari criou o Ferrari Land, o parque temático que abriu este fim-de-semana, próximo de Barcelona, onde sentir as emoções de andar num destes carros italianos custa uma ninharia.

A primeira infraestrutura do género na Europa deste construtor transalpino abriu as portas em Espanha, depois da estreia de um projecto semelhante nos Emirados Árabes Unidos, em 2010. Envolvendo uma área próxima dos 70 mil metros quadrados, inseridos no interior do conhecido parque de diversões PortAventura World, as suas 11 atracções constituem o mais recente motivo de interesse para uma saltada até à vizinha Espanha, com a garantia de divertimento para toda a família.

A abertura do espaço, que acontece no ano em que a marca de desportivos comemora 70 anos de existência, foi acompanhada de muita música, dança e fogo de artifício, assim como com a presença de Piero Ferrari, filho do fundador da marca do Cavallino Rampante, Enzo, e do presidente do PortAventura World, Arturo Mas Sardá.

As diversões

Deste novo parque de diversões com o emblema da marca de Maranello fazem parte toda uma série de divertimentos, desde uma torre de queda livre em que visitantes são largados, atingindo velocidades até 64 km/h, a simuladores em que é possível viver a pilotagem de um monolugar de F1, passando por animações como a Ferrari Experience e, até, uma mini-pista de corridas com 570 metros, onde, supostamente, será possível conduzir. O quê, não foi ainda revelado.

Os visitantes são ainda desafiados a percorrerem a Galeria Ferrari Land, ao longo da qual é recordada a história da marca do Cavallino Rampante, com o momento do nascimento daquele que é, hoje em dia, um dos mais famosos fabricantes automóveis do mundo, a ser recordado num espectáculo que se realiza três vezes por dia.

Entre as várias infraestruturas propostas, destaque para a montanha-russa Red Force, com um percurso que se prolonga por 880 metros, ao longo do qual os passageiros atingem uma velocidade máxima de 180 km/h em apenas cinco segundos, “disparados” de alturas de até 112 metros e suportando no trajecto forças de 1,35G!

Parte desta enorme montanha-russa, um gigantesco emblema do Cavallino Rampante, com 9×12 metros e um peso total de 9 toneladas, observa um recinto onde não faltam igualmente réplicas de alguns dos mais emblemáticos edifícios italianos, como o Coliseu de Roma, a torre da Praça de S. Marcos em Veneza, a casa de Enzo Ferrari junto à pista de Fiorano, ou a casa do seu pai, Alfredo, hoje em dia integrada no Museu Enzo Ferrari, em Modena.

E quanto custa?

O Ferrari Land, projecto que implicou um investimento de 100 milhões de euros e onde são esperados cerca de 5 milhões de visitantes, só em 2017, está incluído no complexo PortAventura World, que integra ainda outros dois parques, o PortAventura Park e o PortAventura Caribe Aquatic Park, com este último, de cariz mais aquático, a estar apenas aberto entre finais de Maio e meados de Setembro.

Quanto aos bilhetes, podem ser adquiridos na forma de packs, garantindo o acesso a dois ou aos três parques de diversões, sendo que as entradas podem incluir um, dois ou três dias, já que os parques funcionam apenas das 10h00 às 17h00.

Caso esteja a pensar ir já, durante as férias da Páscoa, período em que apenas o PortAventura Park e o Ferrari Land estão em funcionamento, saiba que o preço de um bilhete de um dia para poder brincar nos dois parques é de 60€ para um adulto (52€ para crianças entre os 4 e os 10 anos e seniores com maiores de 60 anos, e 30€ para visitantes com incapacidade mínima de 33%), o que dá uma média de 30€ por parque. Já se a visita for pensada para dois dias, os preços passam a ser de 70, 59 e 35€, respectivamente, ao passo que, para três dias, opção disponível já com Caribe Aquatic Park incluído, serão de 95, 77 e 47€.

No site da PortAventura, existem ainda promoções que podem englobar voo, hotel e entrada, ou até mesmo um passe anual. Exclusivamente para quem for muito (mas mesmo muito) fã de emoções fortes.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)