Sevnica, a vila eslovena onde a mulher de Donald Trump tem as suas origens, decidiu aproveitar o aumento do número de turistas, graças ao protagonismo da primeira-dama dos EUA, para dinamizar a economia e o turismo local. Como? Criou uma série de produtos que carimbou com a marca “Melania Trump”.

A oferta mais recente é o vinho da marca ‘Primeira Dama’, que começou a ser vendido no início do mês a 27,90 euros por garrafas — segundo o Guardian, houve quem sugerisse que o vinho era vendido por 500 euros. “Não é um vinho forte, é suave como a Melania”, argumenta um dos quatro produtores, que não deixou de promover outros produtos locais. “Temos os melhores salames e outro produtos também muito bons. Não devemos ter medo ou vergonha de oferece-los a um público mais alargado”, acrescentou.

Salame e garrafas de vinho da marca ‘Primeira-Dama’ (RENE GOMOLJ/AFP/Getty Images)

São precisamente esses “bons produtos” que estão a ser vendidos desde a tomada de posse de Donald Trump com ‘o nome’ da mulher do presidente dos EUA: salames, chás, chocolates, bolos de chocolate da marca ‘Primeira-Dama’, mas também tartes de maçã criadas por uma padaria local — só no primeiro dia foram vendidas mais de 100, segundo uma funcionária — e até um prato de truta, servido num restaurante de Sevnica. E não só: os viagens oferecidas pelo gabinete de turismo, para além de passar nos lugares icónicos da cidade — como o castelo e o mercado — também faz um paragem na escola primária onde a primeira-dama estudou antes de se mudar para Ljubljana para ir para o liceu.

Chocolates também da marca ‘Primeira-Dama’ (RENE GOMOLJ/AFP/Getty Images)

A verdade é que, segundo dados do gabinete de turismo da Eslovénia, o número de turistas norte-americanos na Eslovénia aumentou 11% entre janeiro e outubro do ano passado, em comparação com o mesmo período em 2011. Algo que se fez sentir em Sevnica: “No início não estávamos bem preparados para toda a atenção, mas agora já nos estamos a habituar e estamos à espera que o número de turistas aumento no futuro”, conta Janez Levstik, um guia turístico, à Reuters, no passado mês de janeiro.

Prova disso foi uma reportagem que a BBC fez nessa altura, onde se vê o jornalista a perguntar a vários habitantes de Sevnica o que tinham a dizer da nova primeira-dama. “Para mim isso não é interessante”, afirmou um jovem. Houve uma mulher que apenas conseguiu dizer “excelente mulher” enquanto outra encolheu os ombros, afastando-se sem dizer nada.