A Secretária para a Educação norte-americana, Betsy DeVos, está a ser protegida por um dispositivo de segurança que custa aos contribuintes um milhão de dólares todos os meses. A notícia está a ser avançado pela CNN. O serviço de Marshalls dos Estados Unidos protege DeVos e o marido porque “se considera que existe uma ameaça à segurança” da família desde que a Secretária para a Educação foi impedida por manifestantes de entrar numa escola secundária próxima ao seu escritório em Washington numa visita oficial, a 13 de fevereiro.

O contrato assinado com os Marshalls estende-se até 30 de setembro e inclui uma cláusula que prevê que os militares tenham de ser reembolsados com 7,78 milhões de dólares no final deste ano fiscal pelo Departamento da Educação.

A segurança de juízes federais, promotores e outros funcionários judiciais já é uma das principais responsabilidades dos Marshalls norte-americanos, mas raramente se estende a secretários de Estado. A última vez que tal aconteceu foi quando o diretor do Gabinete da Política Nacional de Controlo de Drogas tomou posse, mas o serviço terminou em 2009.