Rádio Observador

Rui Vitória

Benfica mostra confiança na vitória frente ao Marítimo

O treinador de futebol do Benfica, Rui Vitória, mostrou-se esta quinta-feira confiante numa vitória frente ao Marítimo, esta sexta-feira.

Rui Vitória falava em antevisão ao encontro com os insulares, da 29.ª jornada da I Liga

OCTAVIO PASSOS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O treinador de futebol do Benfica, Rui Vitória, mostrou-se esta quinta-feira confiante numa vitória frente ao Marítimo, esta sexta-feira, alertando o adversário para as dificuldades de defrontar uma equipa que está motivada na conquista do título nacional.

Rui Vitória, que falava em antevisão ao encontro com os insulares, da 29.ª jornada da I Liga, reconhece a qualidade do adversário, mas assume o favoritismo para o encontro.

“É uma equipa que está em sexto lugar, que tem vindo a progredir e tem tido bons resultados. Desde que Daniel Ramos entrou as coisas começaram a melhorar. Não esperamos outra coisa que não seja um jogo complicado. Mas vai ser mais difícil para o Marítimo. Estamos prontos, queremos jogar. O Marítimo sabe que vai defrontar uma grande equipa, recheada com grandes jogadores. Vai ser difícil para nós, mas vai ser muito mais difícil para o Marítimo”, realçou.

Depois do triunfo tangencial diante do Moreirense (1-0), Rui Vitória salienta que é neste tipo de jogos que se decidem campeonatos e relembrou que o Benfica jogou muito bem diante do FC Porto e acabou por empatar.

O importante é ganhar. Os campeonatos decidem-se nesses jogos. Há jogos ganhos no coletivo, na raça, na bola parada. Isso é que faz as grandes equipas e os grandes grupos. Amanhã queremos jogar. Vamos enfrentar o Marítimo com esta vontade que nos tem caracterizado”, disse.

Em relação ao processo disciplinar colocado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a Samaris, por ter socado um jogador do Moreirense na zona da barriga, Rui Vitória frisa que toda a polémica apenas acontece por envolver o Benfica.

“É um assunto que me enerva um bocadinho. Samaris é um profissional de excelência, que está cá há três anos e que ao final de um falava melhor português do que muitos portugueses. Este lance acontece em qualquer jogo. Sou o mais crítico em relação aos meus jogadores, mas quando lhes tocam é como se tocassem nas minhas filhas. Não gostei da forma como foram tratados. O que se faz lá dentro fica lá dentro. Se todos viessem cá para fora falassem o que se passa lá dentro”, defendeu.

Ainda assim, o treinador admite que este tipo de polémicas se traduz num fator positivo para a equipa porque fortalece a união do grupo. Numa análise tática à sua equipa, Rui Vitória reconhece que a marcação a Pizzi torna a equipa mais previsível e salienta que é esse mesmo o trabalho que tem desenvolvido como forma de encontrar resposta para estas situações.

“Pizzi mais marcado torna a equipa mais previsível. Mas a nossa forma de jogar e de atacar é variada. Tão depressa temos situações de corredor para jogo interior. O Benfica tem uma variabilidade grande de ataque. Nós arranjamos estratégias para quando um jogador estiver mais bloqueado arranjamos alternativos”, rematou.

O Benfica, líder da I Liga, com 68 pontos, defronta esta sexta-feira no Estádio da Luz, às 18h15 horas, o Marítimo, sexto com 44, em jogo da 29ª jornada que será arbitrado por Nuno Almeida, do Algarve.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)