O Governo decidiu esta quinta-feira propor à Assembleia da República a aprovação do Acordo Económico e Comercial Global e do Acordo de Parceria Estratégica entre o Canadá e a União Europeia (UE) e os seus Estados-Membros.

De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros, o objetivo do Acordo Económico e Comercial Global passa pelo aumento dos fluxos de comércio e de investimento entre os dois países, tendo em vista o crescimento das respetivas economias.

“Trata-se de um acordo que terá um importante impacto em todas as áreas de relacionamento de Portugal com o Canadá, não só porque são reduzidas as barreiras ao investimento, criando-se condições de segurança jurídica e previsibilidade, mas também porque as nossas empresas passam a beneficiar de direitos e oportunidades que lhes permitirão fortalecer e consolidar a sua presença no mercado canadiano”, defende em comunicado.

O acordo abrange serviços como telecomunicações, energia, serviços financeiros, serviços postais e transportes marítimos. Segundo a nota do Governo, o Acordo de Parceria Estratégica entre o Canadá e a UE visa o respeito pelos direitos humanos e os princípios democráticos e a promoção da paz e segurança internacionais e multilateralismo efetivo.

“O acordo prevê, ainda, o reforço da cooperação no combate ao terrorismo, no desenvolvimento económico e sustentável, na justiça, liberdade e segurança, bem como o diálogo noutros domínios de interesse mútuo como sejam a agricultura, pescas, política oceânica e marítima internacional, desenvolvimento rural, emprego, ciência e tecnologia”, diz o Governo.