O FT-4X foi criado a pensar na geração Y, ou do Milénio – de uma forma simplista, os nascidos após 1980. Amantes das actividades ao ar livre, mas que estão, a maior parte do tempo, confinados ao meio urbano e a quatro paredes. E cujos tempos de evasão e fuga à rotina são, por norma, sem grandes radicalismos, apenas com o intuito de mudar de ares e de vistas. Ou seja, na maior parte das vezes, mais fruto do impulso do que propriamente de um grande planeamento…

Acabado de revelar no Salão de Nova Iorque, o mais recente protótipo da Toyota é identificado pela sigla FT-4X, de Future Toyota Four-Wheel Drive Crossover, tendo sido desenvolvido na Califórnia. Assenta na nova plataforma global da Toyota TNGA-C, e combina diversas funcionalidades únicas, que confirmam a sua vocação, com um estilo assumidamente robusto, marcado por linhas simples, destinadas a transmitir uma noção de competência e durabilidade, e a estabelecer uma ligação a outros modelos da marca de espírito semelhante, como o Land Cruiser, o FJ Cruiser ou o 4Runner.

Um dos fitos deste protótipo é antecipar um automóvel capaz de estabelecer uma ligação emocional com o seu condutor e passageiros, e que seja tão divertido de utilizar quanto parece. Para não perder a apetência enquanto automóvel de uso quotidiano, o FT-4X conta com dimensões compactas (para os padrões norte-americanos), patentes numa distância entre eixos de 2.640 mm, e numa carroçaria com 4.250 mm de comprimento, 1.821 mm de largura e 1.623 mm de altura.

Elementos visuais em destaque, no exterior, as ópticas dianteiras integralmente por LED, os generosos alargamentos dos guarda-lamas em preto, as jantes de 18” revestidas por pneus 225/55, desenvolvidos especificamente pela Goodyear para este efeito, e os puxadores das portas traseiras embutidos, ao estilo do C-HR. Atrás da porta traseira do lado do condutor está um terceiro vidro lateral vertical, removível e intermutável, para o qual estão disponíveis várias cores opacas ou escurecidas.

Mas, não obstante as suas formas rectilíneas – que a Toyota afirma terem sido inspiradas num “X” vertical, e noutro horizontal, a partir do qual de desenvolve todo o design da carroçaria –, o que não é menos encantador no FT-4X é a sua vertente prática. Veja-se o portão traseiro, operável a partir de um sobredimensionado manípulo rotativo (para poder ser utilizado, por exemplo, com luvas de trabalho), e que tanto pode abrir na horizontal, de forma bipartida, no modo Urbano (para facilitar as operações de cargas de descargas em espaços mais exíguos), como verticalmente, numa peça única, no modo Ar Livre, servindo também como protecção contra a chuva.

Integrados em cada um dos pára-choques estão dois ganchos vermelhos, de inequívoca utilidade quando for necessário desatascar o FT-4X, ou quando este servir para desatascar outros veículos, ou arrastar cargas mais pesadas no fora de estrada. Por seu turno, o tejadilho plano facilita o transporte de objectos, e os quatro olhais aí instalados servem não só como pontos de fixação, como nas respectivas bases dispõem de tomadas de corrente, para ligação de dispositivos eléctricos. No retrovisor exterior do lado do condutor está integrada uma câmara GoPro.

O interior é outra ode à funcionalidade, sendo pela Toyota definido como uma “caixa de ferramentas sobre rodas”. Além de um amplo espaço habitável, conta com inúmeros locais de fácil acesso destinados a acomodar o equipamento básico para uma escapadela não premeditada, identificáveis por cores específicas: azul para os compartimentos fechados, laranja para os compartimentos abertos.

No interior do portão traseiro existem duas caixas, uma refrigerada, a outra aquecida. O próprio habitáculo divide-se em três zonas: uma chamada “limpa” (a destinada aos passageiros da frente); outra denominada “húmida” (a composta pelo espaço existente atrás dos bancos dianteiros e sob os bancos traseiros, dotada de tapetes de borrcha, e por isso a ideal para acolher, por exemplo, fatos de banho ou de mergulho, equipamento de neve ou vestuário e calçado enlameado); e a terceira a própria zona de carga, totalmente plana, e com um piso extensível, que funciona como plataforma quando aberto. Sob este piso retráctil existe mais um amplo espaço de arrumação, sendo que as luzes interiores, montadas no tejadilho, também são removíveis para poderem funcionar como lanterna.

Mas há mais. As pegas das portas traseiras foram desenhadas para poderem albergar garrafas de águas e contam com tomadas USB, com as dianteiras a servirem como espaços extra de arrumação. Entre os bancos dianteiros, e à laia de apoio de braços, está um saco-cama ultra-compacto da North Face; a consola central recolhe na vertical, para dar acesso a mais um compartimento de arrumação (ventilado, para permitir a secagem de luvas ou outros objetos molhados); e até o sistema multimédia é removível, contando com uma pega semelhante à das portas.

Em termos mecânicos, não são muitos os dados disponibilizados pela Toyota, que não deixa, contudo, de adiantar que o FT-4X está preparado para receber um motor de quatro cilindros de elevada eficiência, que não condicione o seu uso quotidiano. Mais concretas, as informações relativas à capacidade do modelo para se aventurar por outros terrenos que não o asfalto: generosos ângulos de ataque e de saída, suspensão dianteira do tipo MacPherson e por triângulos sobrepostos atrás, e sistema de tracção integral permanente mecânico com “redutoras”.